Os privilégios da casta na USC: Outra “volta de porca”

opinion-665-birrete Já levo tratado o tema em diferentes entradas deste blogue e o que me anima a seguir dando a lata é o feito de que se confirmam as minhas teses sobre o peculiar corporativismo endogámico das ilustres cabeças cobertas de capelos catedráticos na USC e assim é de sinalar a posiçom “mais que favorável” do atual jefe máximo desta instituiçom pública, o seu reitor Juan Viaño, que vem de declarar ante os falsimédios a sua total disposiçom a mudar as regras do jogo para que o acesso á cátedra seja “umha verdadeira promoçom interna” e evitar que poidam apresentar-se á mesma professorado titular doutras universidades do estado. Ou seja facilitar ao máximo o acesso exclusivo ás mesmas.

Em troques é de agradecer que algum membro capelar desta instituiçom, como o catedrático de História Antiga José Carlos Bermejo publicara nesta fim de semana no jornalucho local umha sua opiniom (em castelám) com o cabeçalho “Felices en Fonseca” da que (se bem nom compartilho muitos dos seus argumentos como o de que “a LRU do ministro J.M. Maravall, (…) foi necessária e positiva em conjunto para a universidade”), ressalto o final do seu artigo que traduzo e colo porque vai na linha do que venho denunciando eu nesta bitácora:

Toga y birrete f (…) “Com seus títulos na mão, miles de professores (cria a Aneca 1.000 catedráticos anuais) passarom a pedir que se lhes crie umha praça ou que se lhes permita aceder a um nível superior, mediante um concurso público sem examens e com uns tribunais nos que pode práticamente nom haver nem um especialista na matéria.

Assim, dentro dum departamento uns pressionam para ascender a catedráticos, outros para ser titulares, outros para ser ajudantes ou professores contratados. É lógico e humanamente comprensível, pero nom é presentável legalmente porque só os que estám dentro pressionam e os direitos dos que estám fora para aceder a essas praças todo o mundo sabe que som umha quimera. O malo nom é isto. O malo é que se queira consagrar com um artigo dum Estatuto, que é legal porque está aprovado, pero que contradi outras leis, e que se pretenda que o direito subjectivo á promoçom prime sobre o direito objectivo á mesma. Se assim se consagra, as universidades convertirám-se em agências de colocaçom e promoçom dos seus professores com o fim de fazer efetivo seu direito subjectivo, atuando do mesmo jeito que um Estado que criase agências matrimoniais para garantir o direito ao matrimónio”.

Em resumidas contas o que este catedrático da USC denúnica é que, desde as altas instâncias, se pretende privilegiar ainda mais (se se pode) as castas mais privilegiadas da universidade em detrimento do resto e fazer-lhes ás pre-catedráticas um traje exclusivo com toga e capelo á sua medida.

———-
Entradas antériores no blogue ao respeito da temática em questom:

Como poder chegar a catedrático de universidade em poucas leçons

Aspirantes á Cátedra na USC: Insolidários reclamam privilégios da casta!!

Anúncios

3 ideias sobre “Os privilégios da casta na USC: Outra “volta de porca”

  1. Pingback: [Compostela] Os privilégios da casta na USC: Outra «volta de porca» | abordaxe

  2. Pingback: Umha resposta contundente contra o machismo na docência universitária entanto segue a cumplicidade corporativista | ogajeironagavea

  3. Pingback: [Compostela] Umha resposta contundente contra o machismo na docência universitária entanto segue a cumplicidade corporativista | abordaxe

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s