O Ministro de Exteriores otorga um novo prémio aos 8 gardas civís que malharom num emigrante no valo de Melilla e o de Interior felicita á Benemérita com umha foto de soldados nazis

tricornio-con-virgen-del-pilar O mundo ao revés:

Quando há dias que José Manuel García-Margallo, o ministro de exteriores espanhol (em funçons), era elogiado nos falsimédios polas suas supostas sinceiras palavras ao respeito do acordo da UE com Turquia sobre refugiados admitindo “que no deja de ser una chapuza” e que o esforço que a UE está a fazer nesta crise de refugiados é “muy menor” e manifestamente “mejorable” e mesmo que “estábamos asistiendo a muertes y naufragios en el Egeo intolerables” (sic); agora venho de saber que, em 16 de maio, o seu ministério (ou será mistério) concedeu-lhes a Orde do Mérito Civil aos mesmos 8 gardas civis que receberam a semana anteiror a Cruz da Orde ao Mérito da Garda Civil con distintivo branco outorgada polo Ministerio do Interior (tal como já contei nesta bitácora).

A cerimónia de imposiçom tivo lugar em Melilla, onde o delegado do Governo, El Barkani leu um discurso em que encomiou o labor dos agentes fronte á exposiçom “injusta” e a “pena de banco” que, di, sofrerom e insistiu na “injustiza” sofrida polos gardas civís durante o processo judicial seguido contra eles, do que dixo que estava baseado em “falsas acusaçons” a partir de “vídeos nesgados e informaçons parciais e interesadas” e celebrou “que se impugera a razom e a justiza fronte ao absurdo de quem aposta pola demagogia e o debate sem mais beneficiários que as máfias que explotam e traficam cos inmigrantes”, para rematar denunciando que a sua “missom difícil” expuxo os agentes a “críticas irresponsáveis e até processos judiciais”.

A Orde do Mérito Civil, concedida polo ministro de Asuntos Exteriores em nome do Rei, prémia, segundo o seu regulamento, os seguintes méritos: “A prestaçom de relevantes serviços, de carácter civil, ao Estado”, “a realizaçom de trabalhos extraordinários de indubitável mérito”, “a laboriosidade ou a capacidade extraordinária, postas de manifesto em bem do interese geral” e “as grandes iniciativas de influência nacional e, em geral, os feitos exemplares que, redundando em benefício do pais, devam ser premiados e estimulados”. Eu por mais voltas que lhe dea a minha cabecinha nom logro atopar entre estes méritos algum que tenha que ver com malhar violentamente contra um migrante ferido e depois tira-lo para dentro da fronteira marroquina.

guardia-civil--575x600 Mas entrar na lógica dos nossos ministros ultracatólicos deve ser coisa de seu Deus ou da suas condecoradas virgens porque senom é díficil de digerir que, com galho do 127 aniversário do corpo armado da Garda Civil, o ministro de Intérior (em funçons) Jorge Fernández Díaz enviara aos membros da Benemérita umha felicitaçom via tuit com oito fotos e desenhos da história deste corpo armado desde 1844 até 1973 e entre elas umha foto dum agente consultando uns papeis com um oficial e tres soldados do ejército nazi; umha imagem, que Interior data erróneamente em 1937, quando em realidade foi tomada entorno a 1943 nalgum ponto da fronteira entre a Espanha franquista e a França ocupada polas tropas das Wehrmacht de Adolf Hitler.

Fernandez_de_Mesa_El_Cuco_ValleDeLosCaidos

 

 

 

 

 

pdt.- Por certo, onde está oculto o director geral da Garda Civil (em funçons) o ferrolá de moi conhecido antepassado franquista como “guerrillero de Cristo Rey”, Cuco Fernández de Mesa Díaz del Río, do que há muito tempo que nada se di?? raro, raro, raro, …

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s