As possiveis razons da debacle podemita e dos erros dos inquéritos eleitorais

Pablo-Iglesias-dirigentes-Unidos-Podemos_EDIIMA20160626_0593_19 Desde que se conhecem os resultados das eleiçons (a falha de saber-se hoje os definitvos tras o reconto dos votos do CERA, que nom vam mudar nada em quanto ao nº de escanhos por partido) venho escuitando e lendo, tanto nos falsimédios como nas redes sociais e mesmo nalguns medios alternativos, como os “Podemitas” e suas “confluências”, seguem dando-lhe voltas a como poideram perder mais de 1 milhom de votos com respeito a dezembro. Os cerebros dos professores da facultade de políticas da Complutense madrilenha estám botando fume tratando de atopar umha resposta a como é possível que tantíssimas pessoas e ao mesmo tempo, ficaram desenganadas das suas propostas de câmbio e desenganchadas do caminho eleitoral representativo como jeito de mudar as coisas neste pútrido sistema económico e social. Á par estám os analistas e expertos em demoscópia buscando os erros nos seus cálculos que justifiquem a falha do “sorpasso” tam anunciado.

Mesmo havendo reflexons que compartilho na sua case totalidade argumental como a de Ramón Cotarelo e seu artigo “Lecciones de un fracaso” no seu blog “Palinuro”, quero expôr aqui o meu parecer ao respeito tras fazer um estúdio dos resultados:

ana_botella 1º) Vários analistas coincidem, e eu concordo, que nos enquéritos tanto prévios como a pê de urna, houvo um erro grave ao dar por feito a fidelidade do voto a Podemos e a IU e contabilizar a suma dos votos de ambos em dezembro como se de sumar peras e maçãs se tratara, quando já avissara Ana Botella que “si se suman una manzana y una pera, nunca pueden dar dos manzanas”.

2º) Ao tanto do antérior e como som um friki dos números, pugem-me a fazer a conta da velha e ver que resultados teria obtido Unidos Podemos de ter acadado a suma total dos votos de um e outro de dezembro (sem engadir nenhum voto mais e deixando ao resto de candidaturas com seus votos do 26 de junho) e Ale Hop!!, UP conseguiria 14 escanos mais que sumar aos 71 obtidos com o que acadaria 85!! (*) e esses 14 mais implicariam que o PP perdera 9, o PSOE 2 e C’s 3, com o que o resultado teria sido: PP 128 escanos, UP 85 (e 2ª força em votos e escanos), PSOE 83 e C’s 29. Uns dados que se asemelham muito mais aos resultados dos enqueritos preelitorais e aos feitos a pê de urna (agás o erro em nom calcular o transvase de votos de C’s ao PP na procura do voto útil). comparacion-encuestas2-U10108031595EGC-U102543164767orG-620x220@abc
3º) Por suposto os cerebros complutenses teriam feito suas suposiçons de medre mais lá dos contabilizados em dezembro e davam por feito, e mesmo os enqueritos assim o ensinavam, que a suma das duas opçons á esquerda do PSOE iam dar réditos eleitorais maiores e assim falavam, todos cheinhos de razom, de mesmo aspirar a vencer ao PP. Por isso agora andam descontrolados, dado que suas mentes privilegiadas de doctos universitários politólogos tinham já a ruta bem estudiada e marcada e nom saem do seu assombro ao comprovar que nom só nom sumarom senom que restarom em mais de 1 milhom de siareiras que, induvidamente, regressarom á abstençom aborrecidas e cansadas de tantas promessas vazias e da deriva socialdemócrata e representativa e do abandono das lutas nas ruas; tal como já deitei escrito neste meu blog ao dia seguinte de conhecer-se os resultados eleitorais.

4) Há quem ante tamanha evidência buscam razons espúrias, mesmo há quem fala de pucheraço e de nom fiar-se do ministro do Intérior á hora de quantificar os dados depois de saber-se que Fernández Díaz andava a caça de independentistas cataláns, mas nom dos malos terroristas da CUP, que esses, ao igual que anarquistas e independentistas “radicais” de outras latitudes, nom importam a ninguém e está moi bem que os persegam e mesmo que os entrulhem, senom de senhores católicos e apostólicos e de misa os domingos que sentam seus cus em poltronas da representatividade e isso sim que nom tem perdom de deus. Vai ser que agora o PP acarreta votantes por vez primeira e os anteriores ministros de Intérior eram um mar de boas virtudes, ou mesmo é agora que a Lei D’Hondt se torna injusta e nunca antes aconteceram tais coisas.

1466944221_203179_1466978788_sumario_normal_recorte1Tudo vale para buscar que foi o que se lhes passou a mais de um milhom de almas que deixaram de confiar em Podemos e IU em só 6 meses; igual foi um virus antidemocrático que enfermou-nas a todas o 26J e nom opideram acodir as runas, ou mesmo forom induzidas por extraterrestes pagadas polo PP e andam sequestradas e perdidas polas galaxias desde o domingo, ou… porque por mais voltas e reviravoltas que dam os cerebros universitários nada lhes leva a conclusom de que o figeram fatal, de que se creiram que a gente que se considera anticapitalista e lhes votara umha vez já a tinham conseguido para sempre e por isso iam na busca de caladeiros da socialdemocracia e de apolíticas (existirá isso na realidade?) para seguir enchindo as redes de incautas. Nom calcularom bem que, o jogo democrático que se levaram de pautar com quem eram seus supostos inimigos, a “casta”, para repartir-se o pastel do governo, fora o que motivara, entre outras razons, que mais de 1 milhom de suas ex-votantes prefiriram voltar ao rego da abstençom e espero que á luta nas ruas.

—————

(*) Para Frikis. Listagem de províncias onde UP ganharia escanos e Partido a quem lho quitaria:

PP
Ciudad Real
Guadalajara
Madrid (2)
Ourense
Salamanca
Tenerife
Teruel
Zaragoza

C’s
Almería
Barcelona
Murcia

PSOE
Araba
Cáceres

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s