A evidência fai-se evidente: O Governo basco acredita mais de 4000 pessoas torturadas entre 1960 e 2013 em Euskal Herria a mãos dos Corpos de “(In-)Seguridade”.

tortura2 Estas conclusons nom som tiradas por nenhum grupo antiprisons, nem por siareiras das teses independistas bascas, nem por ativistas de direitos humanos senom polo diretor do Instituto Basco de Criminologia, Paco Etxeberria no marco dum curso de vrão da UPV-EHU titulado «Verdade e reconhecemento para as vítimas de tortura, tratos inumanos e degradantes», quem dirige umha equipa que está elabourando um Projeto de Investigaçom da Tortura em Euskal Herria, encarregado polo próprio Governo Basco. A notícia a recolhe Naiz e vos colo acá as declaraçons de Etxeberria sobre o avance deste estúdio que ainda nom estará rematado até dezembro deste ano, mas que já é sinificativo pola quantidade e qualidade das denúncias que garantem a existência de torturas.

A efeito de que nom houvera dúvidas sobre a investigaçom, a 202 pessoas que denunciaram torturas foi-lhes aplicado o Protocolo de Estambul das Naçons Unidas para comprovar se eram certas ou inventadas e o resultado é contundente dado que, o 9% dos casos foram consideradas de «máxima consistencia», o 40% «moi consistentes» e o 49% «consistentes» e tam só um 2% foram qualificadas de «inconsistentes».

Impunidade de proporçons incríveis

Etxeberria tamém denuncia «umha impunidade de proporçons incríveis» ao respeito dos torturadores e as cifras som eloquentes: Nos mais de 40 anos de Torturas, só houvo 21 sentências condenatórias (12 á Gardia Civil e 9 á Polícia espanhola), das que só 50 torturadores foram condenados.

rematemosAlém explicou, nesta apresentaçom das conclusons provisionais, que o 17% das pessoas que denunciaram ter sofrido torturas, as padeceram em mais de 1 ocasiom, o que sumado aos casos que ainda nom constam no censo, da para pensar que a cifra de casos de tortura acreditados se situará provavelmente por riba dos 5.000 quando remate o estúdio. Mesmo declarou que a cifra que manejam até agora de 4.009 pessoas está «por baixo da dimensom real das afetadas se temos em conta que há mais pessoas que anunciaram sua incorporaçom ao censo», e engade que «ainda há gente com dúvidas e com medo». «Há pessoas que vinheram dar testemunha mas afundiram-se e marcharom», e remata dizindo: «Pedo comprensom, é terrível o que fica no relato e as lembranças das pessoas que o viviram».

Até agora, a equipa investigadora insertou na base de dados 3.577 casos de tortura, dos que 1.589 correspondem a membros da Gardia Civil, 1561 á Polícia espanhola, e 310 casos nos que é a Ertzaintza o corpo policial responsável da tortura (se bem há que ter em conta que esta última foi criada em 1982).

Como conclusom cabe colar acá a lenda que já é um classico  nas manifas contra esta falsa democracia e á hora de denunciar a existência de Torturas (nom só em Euskal Herria):

AQUI SE TORTURA COMO NA DITADURA

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s