“Guiom para banda desenhada, se quadra…” Meu aporte á Revista Abordaxe nº6. Já nas ruas!!!!:

As minhas compas de Abordaxe! já figerom público no seu blogue (acá) a saida ás ruas do último número da revista em formato papel, o nº 6!!, na sua entrada tendes acesso ao texto editorial e mais ao índice dos contidos e os modos de fazer-se com um ejemplar (com os pontos de distribuiçom gratuita) e mesmo umha sua ligaçom para poder lê-lo ou imprimi-lo em formato pdf. Desde acá vos convido a vissitar seu blogue para saber mais, da revista e do que quiger. Mas tamém fago público acá, agora que já está editado e publicado, o meu aporte para este número:

Guiom para banda desenhada, se quadra…

Día: 6 de janeiro de 2048 (Ano100000000000 no calendário binário )
Hora do vermut
Lugar: Compostela (pode ser adaptado para qualquer outra cidade do mundo)

Cena 1 a representar em vários quadrinhos segundo avança a conversa (os pitidos do telemóveis podem dar o passo dum a outro):

Mesa baixa bar Medusa, um home e umha mulher conversam sentadas em torno a uns copos médio cheios (ou médio vazios), cada quem tem nas suas mãos os seus telefones móveis última geraçom (nota para desenhadora: umha delas, a tua eleiçom, tem o tegrado configurado para pessoas esquerdeiras) e a carom de cada quem há umha especie de casco de moto com patas, as suas roupas nom difirem muito das que usam agora a gente “guapa” porque léva-se a moda retro do ano 2015: Nos planos dos sucessivos quadrinhos da sequência pode haver distintos enfoques; nalgum vem-se umhas mãos mecánicas sobre a barra, desde dentro, em atitude de preparar um coquetel.  Nom se vê nenhuma outra pessoa humana no local.

 Diálogo:

      – Ela – Já há tempo que nom contato com ninguém polo wassap, é como se todas minhas amizades estiveram fora de cobertura.
      – Ele – Poida, ou bem que seus módelos de telemóveis ficarom obsoletos para o wassap, vim outro día na «Christof  Tv» (1) que alguns modelos com sistemas operativos antigos deixaram de ter cobertura para wassap.
(soa um pitido de mensagem recebeda no celular dele) Fufufifuifu!
      – Ele – Ah! Mira acabo de receber umha mensagem da Telecentral da Berenguela que me confirma o dado. Deixam de ser operativos as versons 2.1 e 2.2 de Android, Windows Phone 7 e os iPhone 3GS e os que levem iOS 6 (2).
      – Ela – Pois vaia lata!! Estou pensando ir de rebaixas ao novo Centro Comercial que abrem manhã em Mogadíscio e vas ter que me acompanhar tu ainda que já sei que nom gostas muito de ir de compras.
      – Ele – Mogadíscio? E nom se te ocorre um outro sítio mais selvagem?? Ir até lá costará um olho da cara. Que tem esse novo Cetro Comercial?
(agora soa um pitido no telemóvel dela) Fufufifuifu!
      – Ela – Mira, acabo de receber ofertas de viagem a Somália, ao novo aeroporto do próprio Centro Comercial por só 1984 megabites (³) para 2 pessoas com direito a umha noite de hotel!! E as rebaixas vam ser muito melhores que em qualquer outro Centro, nom vês que é a apertura?? Se nom de que ia interesar-me ir a África?? De safari fotográfico? Agora que as feras podemos ve-las acá em hologramas?? E amais nos spots que recebim já vim algo que quero.
      – Ele – E ainda tês tanto crédito?? Porque eu ando escasso e nom quero ficar sem saldo no telemóvel.
      – Ela– Tenho abondo, a ver como ia mercar o que quero senom. Tu nom te preocupes polos gastos.
      – Ele – (balom de pensamento) Que fastídio. Justo manhã quando emitem desde o Dronódromo de Le Mans a final do mundial de Formula V (4). A ver como me livro desta…
      – Ela – (apurando seu último grolo do copo) Esta-me a entrar fome podemos ir até A Tulha, crio que o cocinheiro androide segue a fazer desses croquetes de espinafre tam bos que lhe deram tanta sona ao local.
      – Ele – E tu sabes ir?, porque eu já esquecim por onde se ia.
      – Ela – Sei, amais senom o GPS dos drones já nos guiarám.

——————————     Remate 1ª cena  —————————————-

Cena 2ª a representar em vários quadrinhos segundo avançam.

Planos picados na praça do Pam, ve-se a estátua de Cervantes e baixo dela a parelha caminhando cara rua do Preguntóiro, ambos levam roupa de abrigo e vem-se destacados dois drones justo enriba das suas respectivas cabeças (som os cascos de moto com patas, agora estas despregadas). Vem-se robôs e androides com formas mecánicas e aspetos diversos, alguns, fortemente armados, semelham polícias, outros assemelham repartidores de bebidas. Seguem sem ver-se gente com apariência humana. Cámaras de vigilância nas alturas enfocam seus passos.

Diálogo:

      – Ele – Compostela já nom é o que era desde que no último jacobeu em 2038 se colapsara a rede Via Láctea. Já nom chove e nom há turistas!! Estou por dizer-te de mudar de cidade, está tudo tam valeiro!!
      – Ela – Bom tamém influe que o Caminho a Compostela a venerar o santo perdeu seu sentido desde que o ano passado lhe figeram ao mortinho a prova do carbono 14 e se demonstrara que os restos som dumha moça que nom tem nada a ver nem com Santiago nem com Prisciliano. Vaia chasco levaram!!. O vindouro ano tocava Jacobeu, mas já digerom no Vaticano que se anulava. Agora a compostela só interesará a colecionistas do passado
      – Ele – Caia de caixom, além nom tinha sentido agora que a Catedral é inexpugnável desde que é o Centro Operativo Virtual de Vigilância da comarca e o campanário da Berenguela a Telecentral de dados e a Torre de Vigia, Parálise e Anulaçom de insurretas. Algo bo tinham que fazer com ela!!
      – Ela – As insurretas essas que dis já deverom extermina-las ainda que alguém me assegurou que ficavam algumhas vivindo nos sumidoiros; que nojo!, inda que eu nunca as vim.
      – Ele – Bom isso soa a conto chinês como aqueles supostos terroristas jihadistas de primeiros de século que resultaram ser paramilitares contratados pola CIA e o Mossad.

——————————     Remate 2ª cena  —————————————-

Cena 3ª, ainda na praça do Pam na esquinha do edifício do concelho velho, plano curto contrapicado da parelha, nom sae ninguém mais. Ve-se um raio saindo do drone que tem o home enriba impactando nele de cheio, quem fica paralisado, ela tamém semelha paralisada pero de assombro.

Diálogo:

      – Ela – Já tinhas que lembrar algo proibido, outra volta vam-te levar a ressetear a memória histórica. E agora com quem vou eu a ir a Mogadíscio??
      – Ele – (balom de pensamento) Conseguido, mau será que manhã nom ponham no estádio ao que me levem a final de Le Mans!!

——————————     Remate 3ª cena  —————————————-

Cena 4ª, na mesma paragem que a anterior, plano médio, ve-se ao home de pê, encorreados seus membros e pescoço a um robô com apariência de máquina paleteira. Ela fala dirigíndo-se ao robô:

Diálogo:

      – Ela – A onde mo levam desta volta? Quanto tempo estará lá? Poderám solta-lo manhã para que me acompanhe de compras a Mogadíscio, mirem que já tinha reservada a viagem com hotel para os dois?
     – Robô – Tenho ordem de leva-lo á «Cámara de Manipulaçom de Contidos Mentais» (5) de Balaídos. A sua formataçom vai ser avançada. Suas ideias absurdas sobre a história recém devem ser borradas. Seu delito prescreverá aos 15 días.
      – Ele – (balom de pensamento sem mudar nada seu rostro paralisado) Guai 15 días em Balaídos, que forte!!
      – Ela – Ah pois perfeito. Mirem que na anterior captura levarom-no a Riazor e el sempre che foi moi do Celtinha e ali deveu colher o virus que lhe inoculou essas ideias tolas na cabeça. Terei que ir sozinha a Mogadíscio
     – Robô – A Gram Olhar encarga-me que lhe deseje boa compra e que lhe comunique que tem um gosto excelente ao escolher esse abrigo de astracã, Sra Lenina Crowne (6).
      – Ela – Como sabem? Bo serei tonta!! Se vostedes sabem tudo de mim.

                     ——————— Fim ———————

Epílogo necessário

Poida que algumha considere este texto misógino por aquilo de que a protagonista feminina só lhe preocupem as rebaixas; mas é claro que alguém que segue «livre» na superfície nessas circunstâncias nom é porque seja umha luitadora; tamém poida que alguém considere banal que ao home só parecem preocupar-lhe os desportos.

Tamém poida que a alguém lhe resulte quanto menos curioso que as protas e o robô falem galego, mas esta lîngua fora declarada idioma internacional na cimeira de Rio de Janeiro em 22 de fevereiro de 2020, primeiro día de Carnaval, quando representantes das 5 línguas mais faladas no planeta se reuniram para acordar qual delas adoitar como internacional. Lá estavam homes e mulheres muito sui géneris falando mandarim, inglês, espanhol, hindi e fuṣḥà numha autêntica torre de babel, até que ao som de samba entraram garotos e garotas dançando ao redor das concorrentes e começaram repartir caipirinhas e batidas e foi quando tomou o micro a mulher brasileira que fazia de anfitriona e falou nessa língua tam bela e falou bem e a todas cautivou e ipso facto lá acordaram por unanimidade adoitar o galego como idioma universal e tras um brinde polo rápido acordo, passarom todas a dançar e cantar «Liberdade! Liberdade! Abra as Asas Sobre nós!»(7) (mas disso há já muito tempo)

Na altura dos acontecementos acá relatados, sim há, como contam os ruge-ruges, homes e mulheres bravas agochadas, se bem nom na rede de sumidoiros, senom nos passadiços e túneis subterrâneos que existem desde o medievo na zona velha de Compostela e que conectam com o Pico Sacro. Por suposto estas insurretas luitadoras estám desprovistas de telemóveis e de qualquer outro aparato tecnológico com o que A Gram Olhar e seu séquito poideram controlar seus passos. Quando saem á superfície na busca de alimentos e bebidas cubrem seus corpos com alburkas, umha vestimenta talar de corpo enteiro recuberta de papel de alumínio com as que evitam ser detetadas por drones e cámaras térmicas infravermelhas. Mesmo há quem conta que figeram um burato no fundo do falso poço do antigo bar do mesmo nome e lá se passam algumhas noites de foliada e outras planejando e sua vendetta. Dim que som umha Banda organizada e que estám a Desenhar um plano para entrar na Catedral polo subsolo do antigo museu e destruir a Central e as máquinas da Torre da Berenguela e assim afazer-se com o control da cidade. Dim que agora que as polícias som máquinas é possível umha sabotagem á rede que as paralice e inutilice. Dim que noutras cidades tamém há gente na sua situaçom. Dim…(mas isto já é argumento para outra história)

«Tudo parecido com a coincidência é pura realidade», Comochoconto

 ————————————————————-
NOTAS

(1) Piscadela ao filme  «O Show de Truman»
(²) Notícia real emitida no telediario da noite de TV1 em 29/12/2016, dado o meu desconhecemento em quanto a modelos de telefones optei por pôr os módelos que derom nessa transcendental notícia
(³) Piscadela ao romance «1984» de George Orwell
(4) Piscadela ao filme «Un, dos, tres…al escondite inglés» de Iván Zulueta
(5) Piscadela á B.D. «Historias de Taberna Galáctica» de Josep M. Beá
(6) Piscadela ao romance «Admirável Brave New World» de Aldous Huxley
(7) Samba composto por Niltinho Tristeza, Preto Jóia, Vicentinho e Jurandir para o carnaval de 1989. Fala sobre a aboliçom da escravitude e o fim da monarquia!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s