Arquivo mensal: julho 2017

Compostela Aberta para Guiris: Cidade Peonil pensando só no turisteio!!

Há uns dias lim na imprensa local umha Carta ao Diretor no que um cidadá residente em Compostela botava pestes contra o governo do concelho polo feche ao tráfico rodado na Avda Joam XXIII; onde (oh casualidade!) está ubicada a dársena de autobuses vindos de afora cheinhos de vissitantes foráneos.

É norma do pseudojornal, onde lim a crítica, publicar toda quanta protesta lhes chegue e que lhes serva para ponher a feder ao governo local; mais neste caso que trato acho que lhe assiste toda razom ao residente indignado polo corte de tráfico nessa zona. E isso que por mim faria pionil toda a cidade (pero nunca faria exclusiva só a zona guiri)
Continuar lendo

Ilustres suicidas x Acratosaurio

Índa que já falei eu do tema, agora recolho (e traduzo) de AlasBarricadas este texto de Acratosaurio e recomendo avidamente sua leitura (de feito só acostumo a colar artigos de outras pessoas quando concordo coa sua opiniom e considero que merece ser traduzido e dar-lhe pulo):

Um novo suicídio pola crise. Tráta-se dum senhor de lustre, um mata-ursos, e tal, que apareceu listo coa sua carabina o seu carom. Quem a ferro mata, a ferro morre, di a Bíblia. Acapara portadas de revistas etc., incrementando a curiosa lista de falecidos de direitas. Os ricos tamém morrem, menos mal. A polícia dizia na tele, que quando a ferida é no peito, tentando alcançar o coraçom, é porque um busca acabar coa sua vida. Claro. Evidente, se o que buscas é quedar coxo, a ferida fas-na num pé. E o certo é que a mim nom me estranha que se vaiam morrendo todos esses imputados. Os juízos prolóngam-se tantos anos, que se queira ou nom, a gente acaba palmando denantes que se ditem sentenças exemplares.

Com tudo há cidadáns que duvidam de que alguém coa cara tam dura, e que nom deixa nota de despedida, máte-se assim sem mais, porque nom quer que lhe dea o sol ao coche. Vai cambia-lo de sítio temperám, méte-lo na garagem, percatá-se de que quando volva vai estar como um forno, e nom pode suporta-lo. Sofre. Colhe sua escopeta… Absurdo, dim alguns escépticos. Eu vou demonstrar que sim se pode. Nom duvidedes amigos anarquistas. Nom duvidedes.
Continuar lendo

Sua derradeira caçada!!

Já dera caça a tudo quanto animal podia matar para depois presumir disso com foto e trofeio.

Ontem deu seu definitivo certeiro disparo e, índa que haja quem fale de que foi um “selfi”, de momento nom há foto que tal atestigue.

Tampouco haverá cabeça disecada para colgar como trofeio num lugar “preferente” da sua vivenda de lujo com sua respetiva “tarjeta preta” dando conta de quando e donde foi caçado o ejemplar.
Continuar lendo

Descerebrados pintan esvásticas na fachada do C.S.O. A Insumisa (A Corunha)

Colo tal qual da sua web:

A mañá do pasado luns a fachada do Centro Social Okupado coruñés A Insumisa amenceu decorada cun puñado de esvásticas, pintadas con rotulador, superpostas ao letreiro da okupa. Evidentemente o asunto non reviste moita importancia: algún descerebrado pretendeu, con tan insignificante xesto, descargar a frustración que lle produce a boa marcha de tan activo e prolífico Centro Social. Nunha cidade de máis de 250.000 habitantes ten que haber de todo, pero aquí os nazis son absolutamente marxinais e anecdóticos, probablemente haxa máis xente nesta cidade que beba os seus ouriños, ou que se dediquen a domar iguanas que verdadeiros seguidores de Hitler. É por iso que semellantes mentecatos vense obrigados a descargar a súa frustración ante a boa marcha do movemento antagonista e asembleario con absurdas chiquilladas.
Continuar lendo

Aviso para pelegrinas: O que vos contaram da neve na Galiza nom tem que ver nada co clima

Depois de comprovar “in situ” e “de visu” que as e os pelegrinas destes tempos substituirom “ex profeso” os báculos de pau “ad hoc” para peregrinagem -que todas suas predecesoras usavam “in illo tempo”– por bastons de esqui de neve rematados em perigosa ponta ; lanço desde esta minha gávea este aviso intencionado para que depois, ninguém que venha a Compostela com intençons de se lançar costa abaixo por umha pendente nevada, se chame a engano:

Se algumha vez estando por vossas terras do além, escutáchedes dizer alguém que na Galiza havia moi boa neve e mesmo se alguém algumha vez vos comentou que nosso presidente tinha grande gosto por ela; nom se estavam a referir a precipitaçom de cristais de gelo agrupados em flocos ou folerpas e formados pelo congelamento do vapor de água que se encontra suspenso na atmosfera nem aos próprios flocos desses cristais. Acho que há um pequeno erro de interpretaçom léxico pois a única estaçom de neve que há na Galiza é a de Cabeça de Manzaneda que está ubicada bem longe de Compostela e penso que nom há nenhuma ruta oficial entre ambas localidades que figure entre os múltiples caminhos de glória que chegam agora a Compostela.
Continuar lendo

Que fique claro em que Bando está cada quem!! Compostela Aberta fecha fias contra a liberdade de expressom

Já há tempo denunciei neste meu blogue a nula vontade da equipa de governo de Compostela Aberta (CA) de mudar nada essencial na vida cotiá das residentes nesta cidade por parte desta equipa de governo municipal e falava de que nom via visos de que cumprimentaram e/ou repararam as agressons aos direitos civis cometidos pelos anteriores vereadores e suas equipas com as cámaras de vigilância nas ruas, onde há até 10 lugares controlados só no casco velho que se instalaram sob a escusa de “assegurar a proteçom dos edifícios e instalaçons públicas e dos seus acessos, constatar as infraçons da seguridade cidadá e previr a causaçom de danos em bens e pessoas” .

Agora, tal como denúnciam em Causa Galiza: Com um bando de 29 de junho, o Concelho que preside o anovita Martinho Noriega ‘recorda’ em plena campanha para o Dia da Pátria que em aplicaçom da normativa vigente som aplicáveis sançons desde 1.501 a 3.000 euros às pessoas que colem cartazes ou colantes “publicitários”. A advertência julga-se por si própria. Como nos tempos de Conde Roa: apagom mediático, inexistência de espaços públicos de comunicaçom, proibiçom, de facto, da atividade propagandística e repressom policial.

E ainda mais, seguro que siareiras e siareiros fanáticos do Alcaide confluente estarám a defender que nom te é o mesmo Noriega que Conde Roa sob argumentos do tipo: Antes o PP multava por fastidiar ao associacionismo militante e o ativismo antisistema; agora é o associacionismo militante e o ativismo antisistema quem fai pintadas e colga faixas só por amolar ao nosso benamado e caro Alcaide: Hai-te diferências evidentes.
Continuar lendo

Das estranhas feministas que aplaudem iniciativas capitalistas “só para mulheres”

Hoje flipei ao ver numha das chamadas “rede social virtual” o aplauso entusiasta dalgumhas mulheres ao anúncio de que na Suécia as pessoas que organizam o seu maior festival de música, “Bråvalla”, acordaram celebrar a próxima ediçom em 2018 vetando a entrada dos homes e isso foi acordado tras conhecer-se que, na ediçom deste ano que concluiu o passado sábado 1 de julho, a polícia registrara 4 denúncias por violaçom e 23 por agresons sexuais. E se bem num 1º momento os seus organizadores pensaram em cancela-lo, mudaram de ideia e, no que pretende ser um golpe de efeito e umha medida exemplar, decidirom manter o cartaz só para mulheres e já falam de que vai ser “o primeiro festival sem homes; até que aprendam a comportar-se”.
Continuar lendo

Nom som Bosques que som Cultivos. As plantaçons de Eucaliptos e Pinheiros som um perigoso combustível

Nestes dias, abrumado pola seca que padecemos por toda Galiza, seguim lendo tudo quanto caia nas minhas mãos ao respeito das causas que originam os grandes lumes que em cada época estival (e nom só pois até o mês de abril já arderam neste ano 2017 case 3.000 hectáreas na Galiza) arrasam nossa terra. Dos porquês esta Terra tam húmida é vítima ano tras ano destas desfeitas que som, na sua imensa maioria e sem dúvida algumha, autoria da mão humana quando nom da sua egoista mente planificadora.

O gram incêndio de Pedrogrão no nosso pais vizinho está a ser considerado como ínedito, nom quanto às dimensons senom em quanto ao comportamento de fogo e o tipo de propagaçom, denominada polos expertos como “convectiva dominante”.

Isso está a dar pê a que saiam á luz certos aspeitos deste lume que venhem ponhendo o olho do furacám na política forestal (Portugal ao igual que Galiza som vítimas de políticas forestais pensadas só em termos de rendimento económico para empresas madereiras e pasteiras).

Emanuel Oliveira, bombeiro português, autor do blogue ‘Fogos Florestais’ aclara que a classificaçom dos incêndios de acordo com o fator que domina a propagaçom do fogo, divide-se em três grandes tipos: os do tipo ‘vento’, quando é o vento que conduz e domina a propagaçom; do tipo ‘topográfico’, quando a propagaçom é dominada pelas características físicas do terreno; e por último os incêndios do tipo ‘convectivo’ ou também denominados de incêndios de combustível, quando o fator dominante da propagaçom som os combustíveis, pela sua carga e disponibilidade, pelo tipo/modelo de combustível (herbáceas, matos, povoamentos e resíduos florestais), pela sua distribuiçom espacial e pelo seu estado fenológico (o estado das fase de vida da planta).
Continuar lendo

Sobre o autor do crime da meninha de Sabiñánigo: Vigiante privado, filho de Guarda Civil e fascista (atualizaçom)

Os média de toda “españa una y nocincuentauna” qualificam este assassinato de barbaridade extrema e semelha que, por moi raro que pareza, nas suas primeiras informaçons e quando já era sabido quem foi seu autor e assassino da meninha de só 8 anos, e umha vez que este se autoproclamou culpável, tirarom luz das suas simpatias e filias para com partidos da ultradireita e de que gostava pular e compartilhar na rede vídeos fascistas, xenófobos e racistas e discriminatórios para com as mulheres. Tampouco ocultarom que seu pai fora Guarda Civil (já morreu) e que ele, ao igual que seu irmão e padrasto da meninha assassinada, estám na vigiância privativa (ao meu entender é de supôr que nom deram a talha para seguir a tradiçom familiar dada a facilidade com que filhos do corpo accedem ao mesmo).

Ah! da sua filiaçom a imensa maioria de falsimédios só deram seu nome: Ivan e as curiosas iniciais dos seus apelidos P.P. É claro que nom é um perigoso antisistema. Só é um assassino de mulheres que merece sua intimidade.
Continuar lendo