Domingo 12 ás 17hs Manifa “Por uma Sociedade sem Racismo” [Madrid]

“O movimento racista no estado espanhol vem sendo liderado por pessoas brancas, o qual é moi irónico porque sua posiçom tem que ser moi distinta: de apoio á causa, que o agradecemos muitíssimo, pero nom de liderança” Georgina Marcelino, afrodescendente dominicana.

Já vos falei desta convocatória no início da entrada que publiquei ontem, na que recolhim o artigo de Mumia Abu-Jamal em homenagem a Dennis Banks.

Agora, em apoio e solidariedade coas gentes das diferentes comunidades racializadas que residem no estado espanhol; quem -por vez primeira a nivel estatal- organizárom-se em assembleias abertas para convocar esta Manifa baixo a lenda “Por uma Sociedade sem Racismo” contra o racismo institucional e para celebrar que som muitas, que estám unidas e que venhem duma longa história de luitas anticoloniais!!!. Fam-no nesta data na que se cumpre o 25 aniversário do que se reconheceu como o 1º assassinato por racismo no estado; quando a dominicana Lucrecia Pérez fora assassinada por ser migrante, negra e pobre em Aravaca (Madrid), polos disparos de Luis Merino Pérez, um Guardia Civil de ideologia neonazi que saira de caça coa sua quadrilha formada por 3 minores de idade “a dar una lección a los negros”.

As diferentes comunidades racializadas buscam situar-se unidas na primeira fila do movimiento porque, lembram, som elas quem o sofrem e ao igual que a luita contra o machismo nom é liderada por homes, agora colhem a batuta e buscam canalisar sua acumulada ráiva nesta “Gram Manifestaçom Contra o Racismo” na que denunciarám a Lei de Estrangeria, os CIEs, a violência estrutural que padecem, seus problemas de regularizaçom e o racismo e a xenofobia que sofrem a cotio, e que violentam o desenvolvimento vital, social e cultural das suas comunidades; ademais de construir juntas uma estratégia política na que se reconheçam e unam a partir das suas riquezas como povos.

Além buscam rematar com o “paternalismo” que, indicam, mais duma vez atoparam nas pessoas envolvidas nos movimentos sociais. O que denominam a “tutela branca”. Uma convocatória autónoma sem ONGs nem partidos políticos, na que asseguram que vam berrar bem alto e claro, que já nom querem nenhum tipo de tutela, que som sujeitos políticos que querem uma sociedade livre de racismo; uma sociedade na que se lhes reconheça a sua diversidade étnico/racial que há nas nossas ruas, nas nossas escolas, nos nossos bairros, etc. Entre as convocantes medra o sentir de que os partidos políticos da chamada “esquerda branca institucional” pretendem possuir o monopólio mediático em relaçom ao racismo e deveriam deixar de autodenominarse como antirracistas porque nas pessoas migrantes som no último que pensam, nom sendo que seja campanha eleitoral que entom e só por entom, é quando se lembram delas para tratar de tirar rendimento eleitoral, nom porque em verdade lhes preocupem.

Ah isso sim, se algum branquinho solidário quer aportar quartos para esta campanha, acá tem como faze-lo:

E acá a página onde fazer a aportaçom monetária

Tamém como atividade prévia, no dia antes (ver cartaz), organizam uma Palestra- Debate para conversar sobre a necessidade da marcha, e a sua vez, ver os diferentes posicionamentos havidos nas comunidades racializadas convocantes. Assim na mesa de debate sentarám as seguintes ativistas:

Helios F. Garcés da comunidade Gitana/Rom
Rabi Alam da comunidade de Bangladesh.
Fàtima Aatar da comunidade Árabe/Muçulmana.
Daniela Ortiz da comunidade de Abya Yala.
Yeison F. García López da comunidade Africana e Afrodescendente.
e o convidado especial:
Houria Bouteldja portavoz do Partido dos Indígenas da República (PIR) organizaçom antirracista da França; quem transmitirá suas experiências como movimento consolidado.

E dito isto, desde a solidariedade e o respeito, eu dou um passo atrás e desejo-lhes a elas miles de passos adiante na sua loita!! 

Vos colo acá o vídeos que quitarom para tal convocatória (som vários pero moi breves):







2 ideias sobre “Domingo 12 ás 17hs Manifa “Por uma Sociedade sem Racismo” [Madrid]

  1. Pingback: Multitudes de pessoas racializadas em manifa rejeitam o “racismo estrutural” do estado espanhol | ogajeironagavea

  2. Pingback: Multitude de pessoas em manifa rejeitam o “racismo estrutural” do estado espanhol | ogajeironagavea

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s