Declaraçom da administraçom autónoma do cantom de Efrîn sobre os ataques das forças invasoras turcas e a resistência heroica do povo curdo

“Nom nos retiramos de Efrîn. Tomamos precauçons para salvar as vidas das civis. As YPG e YPJ estám presentes em todos os distritos de Efrîn e continua a luita”. Brusk Haseke, vozeiro das YPG.
O presidente de Turquia, o fascista Erdogan, assegurou ontem domingo 18 que seu Exército (o 2º mais numeroso da OTAN) e mercenários turcomanos e árabes (lea-se jihadistas do ISIS e Jabhat Al-Nusra agrupadas no ELS) tomaram a capital de Efrîn: “Efrîn está totalmente baixo nosso control” e precisou: “Unidades do Exército Livre Sírio (ELS), apoiadas polo Exército turco, tomaram hoje cedo, ás 08.30 (06.30 horas GMT) o control total sobre o centro de Efrîn”.

Pola sua banda a Administraçom Autónoma Democrática de Efrîn declarou que a guerra se passara a uma outra etapa e que decidiram evacuar á povoaçom civil para evitar massacres: “O exército turco invasor atacou de jeito contínuo a civis e durante os últimos dois dias, muitas crianças foram massacradas, e os edifícios, casas, panadarias, escolas, hospitais de Efrîn forom demolidas e atacadas de maneira planificada. Para evitar um gram desastre humanitário, decidimos evacuar a povoaçom civil da cidade”.

Avanços das forças invasoras turcas vinheram precedidos de intensos bombardeios e de lume de artilharia, além de por intensos combates entre as tropas turcas e as YPG que forçaram a fugida de perto de 200.000 civis desde o passado venres.

Desde o início da invasom turca deste território curdo enclavado na Síria, invasom que contou com o visto bo dos estados belicosos membros da OTAN (entre eles o Reino de Espanha) e com as armas e veículos de tecnologia Merkel made in Germany, assassinou impunemente -com o silêncio cûmplice dos mass merdas de Ocidente e dos poderes internacionais, a coaligaçom anti-ISIS e o Conselho de Seguridade das Naçons Unidas- quanto menos 289 civis, entre elas 43 minores de idade (43 “pescaditos” como o neno Gabriel), segundo o último reconto do Observatório Sírio dos Direitos Humanos. Se bem a Administraçom Autónoma Democrática de Efrîn contabiliza até 500 civis mortas, incluidas crianças, mulheres e anciás assassinadas polo fascismo estatal turco e mais de 1030 feridas; além contabiliza em 820 as luitadoras das SDF (YPG e YPJ) que cairam mártires nesta guerra.

Os ataques do exército turco e seus mercenários jihadistas nom tenhem miramentos para com a povoaçom civil e assim sábe-se que um comboio civil composto por 300 pessoas que tentavam regressar a Jindires fora atacado por avions de combate turcos causando muitas mortes. Um outro tanto se passou com um grupo de civis que desejava regressar a Efrîn desde a aldeia de Basute e foi atacado por obuses e artilharia e o mesmo a um outro grupo de civis que tratavam de sair dos bairros de Eshrefiye e Mahmudiye que foi atacado por obuses e quanto menos 6 civis morreram.

As informaçons tamém sinalam que as civis que nom abandonaram seus fogares estám a ser utilizadas como escudos humanos polas forças armadas de Turquia (TSK) e o Exército Sírio Livre (ELS) e seus cadáveres estám sendo violentados. Engadem além que muitas civis atopam-se nessas situaçom no centro da cidade e enfrontam-se a um risco real duma massacre.

As YPJ fam valer que, nesta nova etapa de guerra contra o invasor turco e seus mercenários jihadistas, suas forças estám a despregar-se por todas partes do cantom de Efrîn e infrigem um golpe ao exército turco invasor e suas aliadas na sua própria base e farám de todas partes um pesadelo para os invasores. A resistência de Efrîn continuará até que cada centímetro fique livre e a gente de Efrîn volte aos seus fogares.

A declaraçom da Administraçom Autónoma Democrática de Efrîn remata assim: “prometemos-lhe a nossa gente, a nossas mártires e ás feridas que nos vengaremos delas. Nossa causa é a causa da resistência e a luita basada na lealdade a nossas mártires, e nosso objetivo é a vitória.

—————-
Fontes utilizadas:

“Administracion de Afrin: la guerra se ha trasladado a otra etapa” em Rojava no está sola

“Civiles atacados en Afrin: masacre en Jindires” em Rojava Azadi Madrid

“Turquía ocupa Efrîn, Siria, tras dos meses de feroces combates” em Curdiscat

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s