[Grécia] Áudios revelam estreito vínculo entre Amencer Dourado e as Cúpulas Policiais

Na Grécia da SYRIZA como na Espanha de Rajoy

Por momentos estivem por colar tal sugestivo encabeçamento nesta entrada para fazer ver a similitude entre o que se passa por estes lares e o que se vêm de destapar no lento juízo (*1) contra 69 membros de Amencer Dourado na Grécia da SYRYZA, essa Coaligaçom que viste do eufemista título de “Esquerda Radical” e na que PODEMOS pugera em miras para copiar tal trunfadora ideia eleitoralista.

Recolho esta informaçom (e traduzo) de KaosenlaRed, o artigo assinado por Revolución Real Ya e mais do artigo “Amanecer Dorado: la noche que lo cambió todo” autoria de Leonidas Oikonomakis no jornal El Salto

Uma série de chamadas telefónicas e intercâmbios de mensagens de texto, apresentados no juízo, revelarom uma vez mais os laços e a cordinaçom entre partidárias de Amencer Dourado e membros da polícia, incluidas as unidades antiterroristas e antidistúrbios.

As chamadas detalham as comunicaçons entre membros do partido neonazi em relaçom com o assassinato do rapeiro antifa Pavlos Fyssas, em 17 de setembro de 2013 numa cafeteria do Pireu, a cidade portuária próxima a Atenas, tras ser acoitelado polo neonazi Giorgos Roupakias, quem admitiu ter-lhe cravado o coitelo no coraçom (*2).

O juízo desvela conversas gravadas entre Sotiris Develekos. membro de Amencer Dourado involucrado no ataque ao Centro Social Anarquista “Pasamontaña” do Pireu, e a polícia antidisturbios, quem lhe informara dos movimentos duma manifa antifa. Numa outra chamada telefónica, Sotiris Develekos admite ter eliminado as provas do assassinato de Pavlos Fyssas.

As conversas telefónicas tamém revelam que Tasos Pantazis, líder de Amencer Dourado nos subúrbios de Atenas, farda de receber informaçom dum oficial da polícia antiterrorista. Tasos Pantazis está acusado de estar involucrado em ataques brutais contra antifas e pessoas migrantes.


(*1) Vários som os deputados de Amencer Dourado, incluido seu líder, Michaloliakos e mais o assinalado como assassino, um tal Giorgos Roupakiasos, as pessoas judicializadas polo assassinato do rapeiro Pavlos Fyssas em 17 de setembro de 2013 e por formar uma organizaçom criminal que ataca migrantes e antifascistas. Muito tempo se passou já desde entom e o lento juízo ainda continua. De feito, já se passou tanto tempo que os diputados de Amencer Dourado tiverom que ser liberados e o assassino Roupakiasos se passou a arresto domiciliário porque segundo as leis da democracia grega nom podia permanecer mais tempo preso sem veredicto. Informaçom recolhida do artigo “Amanecer Dorado: la noche que lo cambió todo” autoria de Leonidas Oikonomakis no jornal El Salto

(*2) Conta Leonidas em El Salto: Nessa maldita noite, o café onde Pavlos e seus amigos estavam olhando o partido de futebol estava cheinho de membros de Amencer Dourado. E para quando reamtou o partido, vários deles estavam agardándo-lhe afora, armados até os dentes com coitelos e paus. Resulta que um dos matons nazis reconhecera Pavlos e mandara uma mensagem ao seu líder local. Dado que Amencer Dourado funciona de acordo a uma estrutura altamente autoritária, é moi provável que uma série de chamadas e mensagens chegara até a cúspide da jerarquia do partido. A ordem que se deu desde arriba: Elimina-lo!

Pavlos digera á sua gente que fugiram entanto ele mantinha a posiçom para conter aos nazis. Pelejou contra dois deles —Pavlos era um tipo forte— pero chegarom mais, arrodeándo-lhe e retendo-lhe, até que Giorgos Roupakias chegou  num coche, sacou um coitelo e cravou-lho no seu coraçom.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s