Arquivo mensal: janeiro 2019

Assim atuam PODEMITAS ANTICAPITALISTAS!! Kichi de Cádiz assina denúncia de Okupaçom

Nom é a primeira vez que adico uma entrada deste meu blogue a tal elemento (ver ao final). Kichi de Cádiz, home da jefa podemita andaluza Teresa Rodríguez, tem essa peculiaridade de contradiçom total entre o que di que pensa e o que realemente fai; e se até agora seus “pecadinhos” tinham mais que ver coa sua teima em aledar a toda a parróquia -otorgando medalhas a sua virgem do Rosário, do que sua nai é moi devota, ou de fazer apologia das armas e dos assassinatos de Estado coa sua postura a prol da construçom barcos de guerra nos asteleiros dessa cidade sob a escusa de favorecer o mantemento de postos de trabalho, e sem ter na conta de que, para mais “inri”, esses barcos de matar vam com destino á armada de Arábia Saudi, um dos paises ditatorias com mais denúncias por vulneraçons dos direitos humanos- agora vêm de ser posto em evidência por um grupo de 25 pessoas refugiadas e sem fogar, que alertam de que foi Kichi -pese a nega-lo por ativa e passiva nos falsimédios- quem assinou a denúncia contra da oKupaçom da chamada “Casa de Cádiz” ubicada em Barcelona e que levava 14 anos em situaçom de abandono, como demonstra esta imagem da denúncia:

Continuar lendo

Venezuela e as anarquistas

Eu, do tema de Venezuela, de se entre Maduro e os Xanquis (se para a RAG os ionquies som xonquis…) ficarei sempre com o Povo; e mais com esses povos originários que lutam contra do extrativismo brutal do petroleo e do gas que está a acabar com suas costumes e maneiras de viver em comuniom com o resto da natureza.

Para as fanáticas esquerdistas chavistas só lembrarei que em 2013, ainda vivo Chaves, morrera assassinado polas suas moi leais tropas revolucionárias, o chefe yukpa Sabino Romero, conhecido pola defessa dos direitos do seu povo e em particular pola luita contra da expansom da megamineraçom desde que Hugo Chavez anunciara a triplicaçom da exploraçom de carvom em 36 milhons de toneladas métricas anuais nos territórios habitados polas diferentes etnias aborígenes.

Recordar-lhes que a luita de Sabino Romero desenvolvia-se, no fundo, contra o modelo de desenvolvimento baseado na extracçom e na comercializaçom dos recursos petrolíferos, de gas e minerais para o mercado mundial, papel atribuído à Venezuela pola globalizaçom económica. Por isso a resistência de Sabino era uma resistência ao modelo económico. Por isso havia que tirá-lo dali, de qualquer maneira. Por isso 13 yukpas foram mortos e todos ficaram impunes até hoje. Sabino juntára-se a uma lista de luitadores assassinados durante o governo bolivariano por defenderem seus direitos, tais como tamém se passara com, entroutros, Mijaíl Martínez, Luis Hernández, Richard Gallardo e Carlos Requena.

Continuar lendo

Voltei por acá…

….para enchir ocos de opiniom entanto sego argalhando minha volta a minha faceta preferida de charlatam de feira no meu programa de rádio Comochoconto; do que darei conta em quanto comece e colarei na rede os postcast (as gravaçons misturadas e listas para escutar) para que cada quem as escuite quando lhe pete e lhe venha em ganha (se lhe vêm, claro).