Venezuela, “O Mundo Ao Revés?”

Se há dois dias aterrara uma alienígena com bastos conhecementos idiomáticos de todas as línguas faladas do planeta Terra e além possuidora duma capacidade de compreensom ilimitada das sinais corporais e outros gestos das terrícolas, e tivera a má sorte de ir parar a uma cidade do chão pátrio españolaço e se pugera a observar as imagens de qualquer televisom generalista ou a ler os jornais de tiragem nazional, nom seria quem de entender nada e marcharia anojada e botando pestes de suas aprendizagens em Terrilogia, seu Comportamento, Usos e Costumes.

Ela, que chegara acá em missom de cumprimentar as derivas do relacionamento primitivo das terrícolas entre si mesmas e analisar suas estranhas divisons parcelárias e os diferentes métodos de governo e seus sistemas de obediência ás líderes, vinhera coa ideia preconcebida, e até entom indiscutível, de que as terrícolas ainda estavam moi longe de acadar o nirvana do Anarquismo e que, o que elas chamam de Democracia, ainda é o único Sistema terrícola ao que estes seres primigênios foram quem de chegar co galho de garantir que, quanto menos, quem lhes governa fosse eleita polo seu povo.

A alinenígena nom inhorava as mais que evidentes falhas nesse peculiar Sistema de organizaçom e ainda lembrava com um sorriso pleno no seu rostro as gargalhadas dela e mais suas compas de aprendizagem quando lhes digeram que terrícolas afaziam caseque tudo por medo á repressom, obediência ao líder ou simples inércia e tudo ilo co galho de obter anacos de metal que lhes permitam aceder a uma milhor ou pior alimentaçom, roupa, vivenda, fonte de energia ou mesmo lezer. Algo inaudito e dificil de assimilar para quem possuia de tudo isto desde seu berço e que nunca conhecera a carestia de nenhuma dessas necessidades básicas. Sem dúvida este era o sinal mais evidente do gram retraso no que ainda estava sumida a vida da gente desse azul planeta e o motivo fundamental da sua viagem de exploraçom era comprovar que seguiam nas mesmas dependências absurdas quando dispunham dum planeta tam rico e variado.

Mas voltando ao motivo do por quê nossa alienígena nom seria quem de entender nada pese a seus amplos conhecementos, igual teria que assinalar um tanto de má sorte ao aterrar onde aterrou, mas nom tanta; dado que a situaçom que lhe gerou tanto anojo teria-la vivido exata em muitos outros lugares do planeta, se bem igaul sim que tivo pouca fortuna ao aterrar o dia que aterrou e aos feitos me remito:

Caracas, Venezuela, 30 de abril

As televisons todas difundem imagens e aúdio dum home que fai um chamado ás forças armadas para que se sumem a derrubar do governo ao Presidente eleito. A alienígena entende á primeira que estám a falar duma clara situaçom do que lhe explicaram como Golpe de Estado; mas nom!! Ve-se que as coisas mudaram muito desde a anterior vissita e segundo contam um feixe de gente nas pantalhas, o golpista agora é o presidente eleito ao que agora querem derrocar pese a ter sido escolhido numas eleiçons, entanto o demócrata é o que fai um chamado ás armas e á violência para assumir ele o poder sem ter sido nunca escolhido por ninguém para tal tarefa.

Ao tempo ensinam imagens de gente camuflada lançando coqueteis molotov contra forças policiais e de novo se lhe cruzam seus cables, pois as pessoas que falam polo tubo catódico assinalam a voz em grito ás primeiras como luitadoras pola liberdade e aos policiais como violentos incontrolados. Tudo o contrário de quanto lhe fora ensinado ao respeito das informaçons manipuladas polos governos e seus vozeadores dos medios; nos que sempre se apresentara a gente que se manifesta encarapuchada como violentas incontroladas e, pola contra, aos corpos policiais que repelem essas açons como os bos do filme.

Surpeendida polos acontecementos e polo feito de como eram contados, nossa alienígena, sube de imediato ao sua nave intergaláctica e volta ao fogar disposta a divulgar o grande avanço nos valores que vem de viver e observar. Por vez primeira vai dar conta de que o caminho cara a Anarquia vai a milhor e já se começam a ouvir nos grandes medios informativos sinais de que assinalam aos governantes como Ditadores e ás pessaos que protestam nas ruas como libertadoras que usam do que se lhes ponha a tiro como arma contra as forças leais aos governos!! Semelhara que já escolheram a senda da Anarquia!! Se tudo seguira assim, em breves poderiam acadar a Nirvana e diante de tamanha notícia, nossa alienígena abandonou a Terra de imediato rumo a levar a boa nova a toda sua Galáxia.

París, França, 1 de maio

O que nunca suspeitaria nossa vissitante é que se ficara um dia mais, comprovaria que ao dia seguinte tudo continuava como sempre, e lhe bastaria com olhar os cabeçalhos dos jornais que recolhem os protestos de tudo o mundo com motivo do 1º de maio para comprova-lo. Evitou coa sua fugida imediata levar o maior chasco da sua vida alienígena mais na seguinte vissita nom terá outra que admitir que aquilo foi algo casual ou causal e que segue a resultar evidente o retraso das civilizaçons do planeta Terra e que suas moradoras ainda estám moi, moi longe de acadar o Nirvana.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s