Oliver Fernández, este é o cura que, 10 anos depois, volta a ser pilhado por acosar minores nas RRSS. Agora foi detido por enviar um vídeo sexual

Na altura digera estar arrependido e só fora apartado das suas funçons na sua diocese

É-che o que te tem as hemerotecas; que por muito que os falsimédios, a cúria, os corpos repressivos e mesmo os governos pretendam manter o anonimato deste depredador sexual de moçinhas e volte a ponher só as suas iniciais O.F. L. ; nom podem eliminar as referências aos feitos acaecidos há 10 anos quando gente do lugar de Zaratán (concelho ubicado na província española de Valladolid) de onde este energúmeno era párroco, deram luz ao seu careto nas RRSS para que se souvera bem quem era.

Tiro do blogue “La Portería de Nela”, um resumo do que sua autora denunciara na altura: que o cura intentara vai tu a saber que com uma minor, que nom chegara a mais porque o pai da meninha, percatara-se e o denunciara na Garda Civil. As conversas que mantinha com a nena por tuenti, nom eram precisamente inocentes com expresons como “eres un bellezón de chica” ou “estás estupenda con un bikini tan sexy”, tudo moito calculado, tinha sua própria conta para ligar com minores, porque para salvar suas almas ou convida-las a rezar o Santo Rosário, fijo que nom. Por entom o cura declarara que se sentia arrependido, que fora um erro e que nom se passou nada… (??) E o bispado, papado e toda a cúria romana mirou para um outro lado (“son anécdotas en las que hay que ver la situación del individuo y circunstancia. No podemos elevar una anécdota a la categoría de problema social” assegurara o Cardenal Archebispo emérito de Sevilla, Carlos Amigo) e em consequência só fora apartaron das suas responsabilidades nessa diocese e assunto arquivado.

Assim davam conta dos sucessos que, em julho de 2010, aconteceram em Zaratán na CNN+, ao que deram em quantificar como o 5º caso de pedofilia na Igreja no 2010 (se bem seria mais exato dizer, o 5º caso que sae á luz pública no 2010 e sem que a Igreja Católica o poidera evitar):

Semelha que agora, 10 anos depois destes sucessos sem consequências penais para o cura, volta ser pilhado “in fraganti”; se bem nada implica que nom seguira acosando minores todo este tempo. Tal como contam alguns médios desta vez foi a Polícia Nacional quem detivo a este sacerdote de Valladolid por enviar um vídeo sexual a uma minor a través das RRSS. E de novo, a atuaçom dos mandatários da Igreja católica española, é a mesma que há 10 anos: aparta-lo temporalmente das suas funçons; algo que vem de fazer o archebispo de Valladolid e presidente da Conferencia Episcopal Española, Ricardo Blázquez tras denominar a atuaçom deste pederasta como “presunto comportamiento deshonesto” e depois aclarar que “no hará manifestación adicional alguna hasta que concluyan las diligencias judiciales abiertas, para preservar la intimidad de la posible víctima y también la presunción de inocencia del presbítero” e agora sentará a esperar que o cura volte a amossar seu falso arrependimento público, um outro translado de parróquia e doutra volta aqui nom se passou nada até que volte ser pilhado num renúncio.

Porque se houvera a mínima intençom de evitar que este depravado seguira acosando minores desde seu pálpito e sua posiçom de poder, nom segueriam tratando de ocultar sua identidade tras umas iniciais O.F.L. e dariam a conhecer o seu careto atual em cartazes coma os dos letreiros “Wanted” do Far West

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s