Arquivo mensal: fevereiro 2020

[Compostela] 6ª feira, Venres 6 ás 19:00 no CSA do SAR (Casa do Peixe) – JORNADA PIRATA “ABORDAXE”

As minhas compas do projeto editorial anarquista galego “Abordaxe” remitem esta moi interesante convocatória- informativa e tamém festiva, mas sempre combativa, coas atividades que figuram no cartaz adjunto- á que ajudo a dar pulo:

A história real e documentada da pirataria asemelha-se bem pouco ao relato que nos vendeu Hollywood, pero resulta moito mais atrativa e surpreendente. Esta história fala-nos da loita pola liberdade, duma anarquia marítima que pugera em perigo aos impérios en todo o mundo e paralisou o comércio naval. Milhares de marinhos de todas as raças e crenças que tomavam as decisons de maneira horizontal e repartiam equitativamente o botim. Estes ensaios libertários de democracia direita sucedidos case um século antes da revoluçom francesa som paradigmas de rebeldia contra toda autoridade.

cartaz 6 marzo
As compas agradecem sua difusom!

[Vídeo]: O Que Queima a Amazônia

Recolho da A.N.A. :

Nom existem catástrofes naturais. A verdadeira tragédia para o planeta nom é o fim do Capitalismo, senom sua continuidade.

Buscando enxergar além das poucas e rasas análises da mídia corporativa e convencional sobre os incêndios na regiom amazônica, este vídeo busca jogar luz sobre o que realmente move a destruiçom da Floresta Amazônica e de todo o Planeta e pra onde vamos a partir daqui.

Este vídeo é a primeira colaboraçom entre Antimídia e Facção Fictícia, coletivo que redigiu o texto.

……………………………………………….

Nota do gajeiro: A sua curta duraçom, de 17 minutos e meio, dam para reflexionar tuda uma vida e permitem vissiona-lo enteiro em qualquer momento. Nom tendes escusas.

 

[Chamam-lhe Democracia e NOM o é] O IMENSO PODER DOS TORTURADORES ESPANHOIS : Milhares de casos, mas só uma sentência condenatória que depois foi revogada

Recolho (e traduço, mantendo suas negrinhas) do CanariasSemanal este artigo assinado por Xabier Makazaga, investigador do terrorismo de Estado:

Nom som poucos os generais da Garda Civil envolvidos em seu dia em muitos soados casos de tortura. Por exemplo, o sinistro chefe do quartel de Intxaurrondo, Enrique Rodríguez Galindo, condenado por sequestrar, torturar e enterrar em cal viva a Joxean Lasa e Joxi Zabala. E ainda som mais numerosos os coronéis, entre os que destacam quatro dos implicados no último caso de torturas em que se ditou uma sentença firme contra alguns dos torturadores e que teve lugar em janeiro de 1992, o caso de Kepa Urra.

Desde entom, tem havido milhares de casos de torturas, mas tam só uma sentença condenatória, a do caso Portu-Sarasola, que depois revogou o Supremo como em tantas outras ocasions. Pese a que o Tribunal Europeu de Direitos Humanos de Estrasburgo condenou a Espanha por isso, dita condena nom tivo repercussom alguma para os torturadores que, uma vez mais, voltaram a ficar completamente impunes.
Continuar lendo