Negacionistas na História da Medicina.- (1) Rachel Carson

Rachel Louise Carson foi uma bióloga marinha, escritora, cientista e ecologista estado-unidense.

No final dos anos 1950, Rachel começou a analisar a conservaçom ambiental, especialmente problemas que ela acreditava serem causados por pesticidas sintéticos. O resultado dessa pesquisa se tornou o livro Silent Spring (1962), que, com grande éxito de aceitaçom popular, levara à povoaçom do seu país uma preocupaçom ambiental sem precedentes.

O DDT (dicloro- difenil- tricloroetano) fora sintetizado por vez primeira vez em 1874 por Othmar Zeildler, mas nom foi até 1939 que Paul Hermann Müller, da empresa química Geigy de Suíça, descobrira suas extraordinárias propriedades inseticidas. Esta descoberta valera-lhe o Prêmio Nobel em 1948. De modo que é fácil imaginar as esperanças que se puseram neste inseticida que tem sido considerado o mais efectivo de todos quantos têm sido descobertos. Foi a partir do ano 1942 quando se comercializou e se fabricou a grande escala. As potências ocidentais usaram-no durante a 2ª Guerra Mundial em suas operaçons. Ao princípio foi considerado segredo militar com o nome em chave de G4.

O primeiro grande sucesso “sanitário” que se lhe atribui foi a drástica reduçom dos piolhos em Nápoles em 1944 quando se polvilhou DDT sobre um milhom de pessoas conseguindo pôr fim a um grave brote de tifo.

Após a 2ª GM começou seu uso em massa graças à reduçom de seus custos de produçom. Nos anos cinquenta atingiu-se seu máximo de produçom com mais de 100.000 toneladas anuais. No território español começa-se a produzir em 1945.

Mas seu uso intensivo o que acarretou que aparecessem resistências bem cedo. Assim em 1947 registou-se em Itália a resistência de moscas e para 1950 já se tinham registados uns quantos casos mais de resistência entre insetos. À medida que seu uso estendia-se, começaram a saltar os alarmes. Seu uso indiscriminado nom só matava os insetos contra os quais se lutava, senom que afetava tamém a seus depredadores e a outros animais.

Foi por entom que Rachel Carson publicara seu livro advertindo das consequências catastróficas para o meio ambiente se se seguia usando o DDT. As poderosas companhias químicas de imediato se engajaram numa sua campanha orquestrada contra de Rachel e suas opinions refletidas em Silent Spring, tratando de difamar à autora do livro e negando tudo quanto lá se denúncia. Mas tamém e graças ao éxito do seu livro e das ideias e argumentaçons nele espostas, formou-se uma opiniom contrária ao uso do DDT. Em meados dos anos sessenta encontraram-se as primeiras provas de que altas concentraçons de veleno se acumulavam nas aves e isso afetava a sua reproduçom e seus cantos (e de ai o título do livro); além constatou-se que DDT contaminava os alimentos e passava à corrente trófica.

Por estas razons e por outras, em 1972 a EPA, a agência de protecçom meio ambiental dos EUA, proibia o uso do DDT no meio duma forte polémica entre detratoras e defesoras. 5 anos após tamém era proibido no território hispano pese a que se seguiu usando no agro de maneira clandestina e de feito até 2008, a empresa Montecinca (de Monzón, Huesca) seguiu usando o DDT como intermediário para a fabricaçom do fungicida dicofol.

A imagem nos ensina à mulher que pulveriza o inseticida sobre o menino sorrindo satisfeita com a certeza de que o que está a fazer é um grande bem. E é verdadeiro que o estava a fazer para a mentalidade da época. Hoje em dia já ninguém dúvida de que o DDT é um composto perigoso para a vida, um veleno mortal.

Tudo graças à NEGACIONISTA Rachel Carson e outras coma ela.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s