Arquivo mensal: setembro 2020

Até Sempre Amigo Txema

Mil colegas quedan tiraos por el camino
Y, ¿cuántos más van a quedar?
¿Cuánto viviremos?, ¿cuánto tiempo moriremos?
En esta absurda derrota sin final


Txema, Bitxobola, Txemita,… quantas anedotas, quantas vivências, quanto amor…

Há gente que, desde o mesmo momento em que entra na tua vida, sabes que vai estar ai para sempre.

Agora e desde ontem, já nom poderemos voltar a falar-nos com sinceridade nem das nossas cuitas e desgraças nem das nossas alegrias e esperanças; já nom poderemos enfadar-nos para depois desculpar-nos de imediato nem poderei escachar da risa coas tuas espontâneas ingenuidades entre trago e porro. Botarei-te em falha nesses protestos solidários, sempre presto a participar, a prol da gente presa, das excluidas, das repremidas e nesses concertos solidários a prol de projetos anarquistas, okupas, anti-sistema,…

Marchas, mas deixas acá “el camionero rumano” junto a “el amigo Narco en su pedazo de casa” que nom é nenhuma das mansions que tem “Manuchau” ás 6 da manhá; tamém ficam cá as tuas versons da “Lola”, “ellos dicen mierda” ou “salta la luna” e teus temaços próprios como a cançom adicada a Xosé Tarrío “compañero” ou a que adicas-te recém neste ano às pessoas desincluidas no dia dos museus, ao carom da tua compa da vida, Pu (acá)

Sempre te lembrarei num cenário a pé de cham cantando coa tua profunda voz e tua guitarra, dizindo verdades coma punhos e entre tema e tema dando contas do que cantas e do que lutas entre saúdos de carinho à gente que te escuta: E tamém ficam na minha memória aquelas nossas conversas em que nos confiamos amizade, o teu amor polo teatro e tua curiosa afeçom polo Cadiz Club de Fútbol e as enormes risas que nos botamos sempre que coincidimos.

És meu amigo ainda que já nom poda abrazar-te nem enfadar-me contigo. Vou-te estranhar.

La cabeza bien cuidada
O muy bien estropeada y nada
nada que agradecer
Dentro de nuestro vacio
Solo queda en pie el orgullo
Por eso seguiremos de pie

MANIPULAÇOM INFORMATIVA da RTVG tamém coa COVID

A MANIPULAÇOM INFORMATIVA da RTVG está em boca de muitas desde tempo há, nom é coisa de agora nem muito menos; mas, nisto da COVID é de que “quem nom queira vê-la é que é CEGA e/ou SURDA porque nom basta com mirar para outro lado”.

Quando ninguém sabe ainda bem como é que se produz os contágios da COVID nem mesmo quando se manifestam os síntomas desta enfermidade, na CRTVG já sabem que em Citroen Vigo nom se produz esses contágios por mor de estar trabalhando uma morea de gente junta nuns espaços moi reduzidos (uma cadeia de montagem de carros onde cadaquem fai só uma laboura, require que a gente nom garde as distâncias mínimas de seguridade por moi grandes que sejam as naves da fatoria) ou porque vaiam até seus curros em médios de transporte abarrotados (se bem nom crio que seja este o problema neste caso onde caseque todas as operárias vam nos seus próprios citroens) ; senom que é só nas pausas do café quando se contagiam todas.

Isto é o que nos contam na RTVG.

E tú, ainda crês no que te contam estes médios??