A Religiom das Vacinas.- Editorial da Revista Anarquista “Amor y Rabia”

Compas anarquistas de Valladolid envolvidas no projeto editorial informativo AMOR Y RABIA, venhem de publicar na rede o nº 30 da sua revista digital “Desde el Confinamiento” (descarrega de balde seu pdf acá) da que agora traduço e colo a sua editorial à vez que convido a vissitar sua bitácora, onde teredes muita mais informaçom ao respeito do tema em questom e doutras muitas coisas:

Desde que se pugeram em marcha as medidas contra o Coronavírus, os resultados têm sido catastróficos: hospitais colapsados, cenas de filme de terror nas residências de anciás, um autoritarismo rampante que nom para de impor medidas absurdas com a desculpa da luita contra o vírus, e uma campanha constante de medo por parte dos meios de comunicaçom. Ante o crescente desespero da povoaçom e uma economia a cada vez mais frágil, agora se nos pretende convencer de que a soluçom está a ponto de chegar, como por arte de magia, graças às vacinas.

Dão igual as vozes que advertiram, por ativa e por passiva, que as vacinas nom se podem planificar, precisando entre 8 e 10 anos com sorte para obter uma; que nom há uma vacina contra a gripe que funcione ao 100% porque o vírus tem mutado mil vezes dantes de que se possa desenvolver uma vacina; e que, ainda em caso de se conseguir desenvolver uma vacina, precisa-se muito tempo para conseguir pôr em marcha a logística que se requer: produçom, transporte, distribuiçom, vacinaçom…

Tudo isto dissera-se e repetira-se mil vezes, e mil vezes foi ignorado, porque a vacina se passou a ocupar na mente popular o papel das milagrosas relíquias de santos do medievo. Mas a fé nom ajuda ao desenvolvimento científico, e pouco a pouco imo-nos inteirando de que as vacinas que recebem permisso para se comercializar carecem das mais mínimas garantias: ou foram concebidas em tão só dois dias, ou os testes nom foram realizados com os grupos de risco e, no caso da vacina que se emprega na campanha de vacinaçom atual na Grão Bretanha, o governo anunciou DEPOIS de iniciar a campanha de vacinaçom, que as pessoas com qualquer tipo de alergias -uma percentagem a cada vez mais elevada da povoaçom ocidental- nom devem vacinar-se.

Tem chegado o momento de perguntar-se: e se nom se consegue uma vacina nos próximos meses ou anos?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s