FASCISMO PERFEITO.- Polícia já não precisa patrulhar as ruas porque a maioria das cidadás fam de acusonas das suas vizinhas.

Recolho, traduço e colo este artigo publicado na web mpr21.info pola sua equipa de redaçom:

Em todo mundo a onda de histeria tem gerado um fascismo perfeito, que conta com a aquiescência duma maioria da povoaçom como jamais nenhum governo tinha sonhado ter.

Jamais ninguém, nem sequer o III Reich, impugera uma privaçom de direitos tam descarada enquanto recebia o aplauso de suas súbditas, convertidas em delatoras zelosas de suas vizinhas.

A polícia britânica, por exemplo, já não precisa patrulhar as ruas porque as vizinhas encarregam-se de informar de cada movimento que se produz no seu bairro. Têm tirado á polícia da rua para que atendam as chamadas de telefone.

Recebem 400 denúncias semanais procedentes de particulares porque suas vizinhas não respeitam as restriçons sanitárias, reúnem-se nas vivendas, não respeitam o toque de queda, quitam de mascarilha ou vam-se de viagem.

Estám a fabricar sociedades nas que tudo é delito, tudo é ilegal, inclusive as festas, e a polícia tem carta branca para derrubar as portas das vivendas, entrar nas mesmas e levar ás “delinquentes” ao calabouço.

Para realizar as atividades mais habituais da vida em sociedade, como um jantar entre amigas, há que passar à clandestinidade e guardar silêncio para que as acusonas não se inteirem.

Na Grã-Bretanha, até o 12 de abril, não está permitido pernoitar em lugares diferentes do domicílio principal, mas uma recente onda de calor fijo que uma multitude de britânicas aproveitaram os raios de sol para ir à praia ou ao campo, o que veu provocar um alude de denúncias à polícia por parte das confidentes.

As delatoras som tam entusiastas que, segundo James Vaughan, chefe da polícia de Dorset, atuam como um braço auxiliar da polícia. Vaughan reconhece que quem viajam a suas segundas residências não cometem nenhuma ilegalidade, mas isso não impede que a polícia pesquise ás “suspeitosas” e as introduza num de seus ficheiros.

“Seguimos recebendo umas 400 denúncias à semana por parte do público, de modo que responderemos às denúncias”, dixo Vaughan. “Não precisaremos patrulhar os pontos conflituosos [ao redor dos lugares de vacaçons] porque a gente é muito rápida em apanhar seus telefones e avisar-nos”, acrescenta (1).

O chefe dos madeiros anima ás vizinhas a denunciar: “Assim é como trabalha a polícia em Dorset. Dependemos do público para que nos proporcione informaçom e dados.

A intoxicaçom jornalística completa a tarefa policial até tal ponto que um novo inquérito indica que uma clara maioria de pessoas quere que o passaporte de vacinas seja obrigatório para poder entrar num bar, subir ao transporte público ou cortar o cabelo (2).

No futuro, indica outro questionário, as pessoas botarám em falta “algumas” ou “muitas” das restriçons que se impugérom com a pandemia (3).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s