De cara o pensamento único.- Da falha de debate cientista sobre a pandemia nos média

Quando se PRIVATIZA um SERVIÇO PÚBLICO nom só este deixa de ser PÚBLICO, senom que mesmo deixa de ser um SERVIÇO para se passar a ser só um NEGÓCIO

Desde os inícios da era covidiana todos os “Grandes Meios”, sem excepçom alguma, foram partícipes da Campanha Orquestrada para infundir MEDO a uma desconhecida e nova DOENÇA trasmitida por um presunto novidoso vírus de origem zoonótico -de origem animal nom humano- do que ainda nada sabemos quando já se passou mais de um ano após a sua espetacular apariçom estelar em todas as televisons do mundo mundial.

Supostamente originário da remota China, expandeu-se por todo o globo terráqueo e chegou até as fronterias dos países mais ricos. E foi assim coma chegou até nós, sem que nenhuma cientista atopara fórmula alguma para poder frear o seu imparável avanço por terra, mar e ar. Chegou para foder-nos e deteriorar ainda mais as nossas saúdes psicóticas de obesas ou anoréxicas privilegiadas do Planeta.

E nossos governantes declararam a GUERRA imediata contra o VÍRUS e seus entusiastas vozeiros dos meios públicos ou privativos se pugeram ipso facto a fazer o que milhor sabem: Replicar unánimes e todos a uma a VOZ de seus AMOS.

Suas explicaçons som vagas e singelas, vam direitas a exiger de todas o cumprimento obrigatório de medidas profiláticas, coidando-se muito de utilizar termos cientistas complexos para que assim todas tragemos as suas píldoras sen enterar-nos bem do que nos estám dizendo.

Trata-se de infundir MEDO ao VÍRUS de maneira eficiente e para isso há que estar TODAS A UMA coma em Fuenteovejuna. Há que evitar que nenhuma opiniom contrária ao PENSAMENTO ÚNICO poida chegar de maneira clara e direita às teleaditas passivas, às leitoras acríticas de jornais, às ouvintes autómatas das rádios, às consumidoras replicantes de fakes … E assim nascem por todas partes as CENSORAS OFICIAIS de toda ideia discrepante da Oficial que adquirem de imediato FRANQUIA de VERACIDADE (tal qual as declaraçons dos polícias nos julgados) para LUTAR a braço partido contra toda uma pleiade de MONSTROS TERRAPLANISTAS, CONSPIRANOICAS, NEGACIONISTAS, FILHAS DE BELCEBÚ empenhadas em debater e pôr em questonamento o PENSAMENTO ÚNICO ditado polas bocachas mais famosas destes Grandes Meios que se sumaram entusiastas desde os inícios ao MORBO de contar numericamente e uma a uma as vítimas que iam caindo supostamente a causa deste NOVO TERRÍVEL VÍRUS entanto seguiam dando conta dos males de amores e desamores de PIJOLANDIA.

Nem uma só voz de todas estas VIVIDORAS do MORBO soou discordante nos inícios da presunta Pandemia e aos poucos começam à par uma CAÇA de BRUXAS das vozes discrepantes que se fam ouvir por seus próprios e escasos meios, junto uma CAMPANHA ORQUESTRADA de DESPRESTÍGIO da toda OPINIOM DIVERGENTE.

Prova disto é que, a maioria das televidentes, desconhecem hoje em dia que há muitas PESSOAS de CIÊNCIA, BIÓLOGAS, EPIMEDIÓLOGAS, MÉDICAS,… que mantenhem posturas MUITO CONTRÁRIAS às medidas oficiais e MUITO CRÍTICAS com as VACINAS mesmo desde antes de começar estas a ser injetadas. E se nom sabem nada disto é porque estas opinions discrepantes NUNCA tiveram OCO em canles do telelixo coma Telainco ou La Infexta.

A Campanha MEDIÁTICA ORQUESTRADA coa DECLARAÇOM UNILATERAL de GUERRA ao vírus, coa IMPOSIÇOM do MEDO ao mesmo e coa INVISSIBILIDADE ou as CHANÇAS e BURLAS das VOZES DISCORDANTES têm sido um ÉXITO. É inegável

Maioria da gente na atualidade crê cegamente no que se di desde os Organismos Oficiais e os Desgovernos, e já chegaram ao ponto de nom se preocupar nem de saber qué é o que lhes estám METENDO por VEIA.

Diante isto que cada qual que apande com o seu, se bem eu quero que vos fique bem claro que eu NOM SOM um CONSPIRANOICO, nem um TERRAPLANISTA. De feito nunca neguei a existência deste vírus, se bem sim me prantejo a SUA CAPACIDADE LETAL e desde os inícios da declaraçom da pandémia ponho em QUESTONAMENTO todas e cada uma das múltiples ESTÚPIDAS MEDIDAS que nos estám obrigando a respeitar em aras dum suposto bem sanitário comum (suponho que quererám dizer “comum do mundo rico” porque à gente empobrecida dos países expoliados, tararí que te vim) e tampouco nom crio numas VACINAS desenvolvidas a toda velocidade em tempo recorde na história e que nom se estavam desenhando em origem para combater este vírus.

Umas perguntas vos fago: A quanta gente de ciência escutastedes discrepar das teses oficiais propandémicas nos grandes meios, com disponibilidade de tempo e coa liberdade suficinte para expor a sua postura num debate respetuoso e sem ser insultada, menospreciada ou tomada a sua opiniom a pitorreio geral ?? Acaso nom seria muito mais lógico dar-lhes essa oportunidade e enfrontar sua opiniom à das numerosas e entusiastas defesoras das teses oficiais ?? Dado que supostamente as oficialistas tenhem argumentos abondo e razons contundentes, nom seria um debate de ideas a milhor maneira de deixar-nos, as antipandémicas, em ridículo público?? E uma vez acadado o ridículo, nom teria motivado a desapariçom imediata destas opinions “conspiranoicas” de todo espaço e lugar?? Entom, porque NOM HÁ ESTE DEBATE em nenhum méio??

Pola contra, e se vedes a cotio a tele: Quantas vezes tendes ouvido ou visto rir-se das discrepantes, ser estas insultadas ou menospreciadas as suas opinions divergentes com a oficial, coma se estas pessoas nom estiveram tamém a sofrer por esta situaçom; coma se estas nom se informaram polo seu próprio bem para a sua saude e a da sua gente. Semelhara que o único que há detrás do que nos motiva a diverger, sejam causas sujas, obscuras e ocultas. Um demo que nos possue, controla e dirige.

Semelhara que as vozes oficialistas que defendem as teses oficiais estiveram cheias de razons polos seus estudos e conhecementos adquiridos nas universidades e outros centros do saber e que, pola contra as replicantes negacionistas só opinam em contra por foder, sem argumentaçons válidas nem investigaçons pertinentes.

E coma coisa de encantamento, ninguém menta as generosas donaçons, agasalhos, viagens e congresos de médicos que som abonados ao 100% polas grandes companhias farmacêuticas, essas mesmas que criaram estas novidosas vacinas. Milhons de euros saem todos os anos destas empresas em conceto de obséquios a pessoal médico para que receitem os seus preparados. Tal é assim que há coisa duns anos atrás tivera-se que aprovar uma lei que proibia a estas empresas com mutíssimo ánimo de lucro fazer agasalhos de grande quantia ao pessoal médico e desde entom estes negócios adicam-se a costear Congressos, Reunions, Conferências,… onde médicos de todo o mundo acodem com gastos pagos em hoteis e restaurantes de lujo. Poida que nom seja motivo abondo para que grande parte da profissom médica se pugera de imediato ao carom da Campanha orquestrada por estas empresas que fam negócio coa saude da gente; mas nom crio que ninguém se pense que as discrepantes opinam diferente porque nom som convidadas a tais festas.

E se as grandes companhias farmacêuticas milhonárias estám dispostas a pagar lujos a médicos e investigadores, nom poderiam fazer o mesmo com as supostas estrelas televisivas tipo Anarrosas ou Ferreras?? A fim de contas, os favores há que paga-los…

De feito todos os grandes meios colaboracionistas ao unísono conseguiram em só 3 meses mudar o parecer de milhons de pessoas do estado español e tal qual, de pronto, de caseque um 50% de residentes que declaravam nom querer vacinar-se (47% em novembre de 2020) se passou em fevereiro de 2021 a ser só um 8%. Nem sequer quando o referendum trampa da OTAN vivira-se uma mudança tam brutal; o poder da tele é muito e suas mentiras entram fácil e se além fam-se constantes burlas da gente crítica e se nos botam as culpas das mortes… Branco e em garrafa.

Desde os começos da declaraçom universal da pandemia até agora, tendes visto nalgum programa informativo explicaçons claras de em que consistem estas vacinas e como afetarám a nossa saude? Contaram-vos nalgum momento que a vacina Pfiezzer é produto duma investigaçom iniciada há já mais duma década (10 anos) como tratamento contra o câncer e nom para combater um vírus? Angela Merkel desvelara esta curiosa cirscunstância tras perguntar-lhe ao responsável investigador desta vacina em qué momentos pensaram por primeira vez usa-la frente ao coronavirus, ao que este respostara: “Lembro perfeitamente. Em 24 de janeiro no almorço decidimos começar. A partir duma publicaçom sobre o que estava ocorrendo em Wuhan pensamos que era provável que se desatara uma pandemia e optamos por passar das terapias contra o câncer a dedicar os nossos recursos ao desenvolviemto duma vacina”. Conhecedes dalguma outra vacina que se desenvolvera tam rápida?? Sabedes que por primeira vez o que vos estám metendo por veia vai direito a interferir no vosso ARN para que este gere anticorpos? Sabedes que é toda uma novidade na prática médica?

Málditos Nórdicos

Agora se atopam com que todas as vacinas e mesmo as absurdas medidas anti-COVID estám em questonamento nos países nórdicos. Esses estados dos que de sempre se figera moi boa imprensa: milhores níveis de estudos, maior grado de democracia, saude de ferro, … À negativa desde os inícios de Suécia a impôr encerros estúpidos e tapabocas, suma-se agora Dinamarca ao proibir a vacinaçom com Astra-Zeneca devido aos numerosos casos de trombose detetados em pessoas sás que foram vacinadas com este invento.

Responsávies de Pfizer sairam ao passo das declaraçons de Sigurd Hortemo, médico jefe da Agência Noreguesa de Medicamentos, quando declarou que as evaluaçons feitas tras das primeiras vacinaçons sugirem que «nom podemos descartar que as reaçons adversas à vacina que sucedem dentro dos primeiros dias após (como fevre e náuseas) poidam contribuir a um curso mais grave e a um fatal desenlace em pacientes com uma doença subjacente severa» feitas a raíz da morte de 35 pessoas na Noruega tras receber a 1ª dose desta vacina: «O número de incidentes até agora nom é alarmante e está na linha das expetativas»!!

Declaraçons nada raras em gente que fam negócio da enfermidade, como Marijn Dekkers, Conselheiro Delegado de Bayer na Índia em 2014 declarava isto quando o governo índio dera luz verde a criar um genérico mais barato nos tratamentos contra o Câncer, VIH e Diabete, conseguindo abaratar num 97% o seu preço com respeito á patente em poder de Bayer: “Nós nom desenvolvemos este medicamento para os índios senom para as pacientes ocidentais que poidam permitir-se-lo“. Por certo Bayer uniu-se nom há muito com Monsanto, essa empresa que se figera famosa polas suas modificaçons genéticas na agricultura, criando a alimentaçom transgênica. A uniom de âmbas empresas multimilhonárias dera pé ao maior fabricante de ervicidas e sementes transgênicas do mundo; um grande negócio muito “saudável” (salva seja a retranca).

Que estedes bem informadas ou nom é coisa vossa. Se credes cegamente no que vos contam polas teles, esse é vosso problema.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s