[ÍNDIA] No Olho da Campanha Mediática do MEDO á COVID

Nos telejornais e capas de imprensa dos últimos dias, a Índia, com suas quantiosas mortinhas diárias sempre anónimas, vê-se agora refletida em images a cotio co galho de seguir metendo MEDO ás passivas espetadoras da plandemia global.

Com tal motivo reproduz (traduzido) o estupendo artigo, autoria de JO NASH, publicado há só 2 dias na web Left Lockdown Sceptics com o cabeçalho Contextualizando a Atual ‘Crise COVID’ na Índia:

As reportagens da grande mídia sobre a 'crise COVID' na Índia foram claramente governadas por uma abordagem global de mensagens que parece ter como objetivo aumentar o medo as 'novas variantes' e coagir o cumprimento da vacinaçom durante um período de resistência crescente, ambos na Índia e no estrangeiro. No entanto, como alguém que viveu na Índia por 8 anos no total até dezembro de 2019, e como arrecadador de fundos para um banco de alimentos em Bihar que tem aliviado a fome causada por bloqueios [1], tenho contato diário com pessoas na Índia tamém como algum contexto para os números apresentados em meio ao alarme em andamento.

Em primeiro lugar, a mídia está apresentando casos e mortes em números inteiros que parecem horríveis, até que se convertem em porcentagens sobre da enorme povoaçom da Índia de 1,4 bilhom de pessoas. A taxa de mortalidade diária atual de 2.600 pessoas na Índia é a equivalente a 126 mortes por dia no Reino Unido, muito abaixo de taxa de pico mais alta do RU e muito próxima da que estám experimentando agora. Veja o gráfico produzido polo JHU a seguir para entender o contexto [2].
Em segundo lugar, mesmo com as alegadas mortes de COVID atingindo seu pico, mais pessoas morrem de diarreia todos os dias na Índia e isso vem ocorrendo há anos, principalmente devido à falta de água potável e saneamento, criando um terreno propício para o florescimento de doenças transmissíveis [3]
Em terceiro lugar, Delhi, o foco das mensagens da mídia e a fonte de muitas das cenas horríveis de sofrimento da mídia, tem o ar mais tóxico do mundo, o que muitas vezes faz com que a cidade tenha de fechar devido aos efeitos generalizados sobre a saúde respiratória [4, 5, 6]. Isso levou Sonia Gandhi e seu filho Rahul a fugir da cidade em novembro de 2020 até que a qualidade do ar melhorasse [7].

Em quarto lugar, as eleições para as assembleias de alto interesse estám tendo lugar nalguns dos maiores estados da Índia neste momento [8]. O ar tóxico de Delhi tem sido um futebol político há anos que nenhum partido dominante aborda diretamente, preferindo apelar aos esforços coletivos dos indivíduos para resolver o problema. Portanto, culpar os crescentes problemas respiratórios que exigem oxigênio em um pico de COVID habilmente desvia a atençom da contínua negligência política desse urgente problema de saúde pública.

Quinto, doenças respiratórias, incluindo DPOC, TB e infeçons do trato respiratório, como bronquite que leva à pneumonia, estám sempre entre as dez principais causas de morte na Índia [3]. Essas condiçons som severamente agravadas pola poluiçom do ar e freqüentemente requerem oxigênio, que pode ser escasso durante as crises de poluiçom do ar. Delhi viu até sua primeira barra de oxigênio aberta em 2019, onde residentes mais ricos podem pagar por uma explosom de oxigênio de 15 minutos durante os períodos tóxicos [9].

Finalmente, o foco do governo índio na aquisiçom de vacinas corre o risco de desviar recursos do enfrentamento de assuntos urgentes de saúde pública, incluindo acesso a água potável, saneamento, ar puro e tratamentos para outras doenças transmissíveis. Um artigo no British Medical Journal relatou a interrupçom do acesso à vacinaçom contra tuberculose devido a bloqueios [10], com a tuberculose conhecida por causar cerca de 1,4 milhons de mortes no país anualmente.

De acordo com meus contatos locais, as pessoas em Delhi sofrem de problemas respiratórios e pulmonares nom tratados, que agora se estám tornando graves. Eu também tive problemas respiratórios lá quando estava perfeitamente saudável e comecei a me mascarar para manter as partículas fora de meus pulmons. Eu costumava sofrer de infeçons graves no peito duas vezes por ano durante as grandes mudanças no clima na Índia, geralmente novembro/dezembro e abril/maio. Quando eu relutantemente mascarei isso parou. Meus contatos relataram que as infeçons brônquicas sazonais usuais nom foram tratadas adequadamente por médicos com medo de contrair COVID e devido ao feito das pessoas evitarem hospitais públicos por medo de contrair COVID. Sem dúvida, esses temores foram alimentados pola cobertura alarmista da mídia sobre a situaçom. Consequentemente, a falta de intervençom precoce significa que muitas doenças respiratórias desenvolveram complicaçons com risco de vida. Além disso, as pessoas das áreas rurais vizinhas costumam viajar para Delhi para tratamento, pois tem as melhores instalaçons de saúde e as pessoas podem ir para lá por algumas rúpias de trem. Isso pressiona o sistema de saúde de Dehli durante as temporadas de vírus respiratórios.
Até agora, meus contatos relatam que a aceitaçom da vacina entre as classes trabalhadoras e outros grupos minoritários tem sido baixa devido à desconfiança generalizada nos campos de vacinaçom financiados polo governo. No contexto da negligência dos governos sucessivos de outros problemas de saúde pública de longa data que afetam desproporcionalmente a classe trabalhadora da Índia, a cobertura de notícias de COVID e bloqueios som percebidos como tentativas de coagir o cumprimento da vacinaçom. Além disso, muitos percebem a COVID como uma doença com maior probabilidade de afetar os ricos que vivem em ambientes urbanos fechados com ar condicionado; portanto, a relutância em obedecer permanece. A vacinaçom está agora sendo promovida em vez de tratamentos iniciais baratos que estavam amplamente disponíveis e, embora a aceitaçom da vacina tenha aumentado, as mortes também estám conforme mostrado no gráfico da Universidade John Hopkins abaixo [11]. Embora a correlaçom nom seja igual à causalidade, a maioria das pessoas com quem falei nom acredita que isso seja apenas uma coincidência. Dada a ampla disponibilidade de dados online e relatos anedóticos de reaçons adversas e mortes, as suspeitas da campanha de vacinaçom permanecem.



Quando consideramos a atual cobertura da mídia sobre a suposta crise do COVID na Índia no contexto dos múltiplos fatores apresentados acima, fica claro que as preocupaçons das pessoas nom som infundadas e nem tudo é o que parece.

Referências

1. Just Giving (2020) ‘We’re Raising £3000 to Continue the Food Bank in Bodhgaya’ https://www.justgiving.com/crowdfunding/foodbankbodhgaya

2. John Hopkins University’s Coronavirus Resource Center (2021) https://coronavirus.jhu.edu/map.html for current data.

3. Times of India (2021) ‘These Diseases Kill Many More Than the Coronavirus’ https://timesofindia.indiatimes.com/india/these-diseases-kill-many-more-than-coronavirus/articleshow/74670863.cms

4. DW.com (2020) ‘India: Smog Causes Health Emergency During Merkel Visit’ https://www.dw.com/en/india-smog-causes-health-emergency-during-merkel-visit/a-51083303

5. Al Jazeera (2020) ‘India’s Capital New Delhi Suffers Most Toxic Air in a Year’ https://www.aljazeera.com/news/2020/11/5/indias-capital-new-delhi-suffers-most-toxic-air-in-a-year

6. Thomas, V and Tiwari, C. (2020) ‘Delhi the World’s Most Polluted Capital Fights Back’ Brookings https://www.brookings.edu/blog/future-development/2020/11/25/delhi-the-worlds-most-air-polluted-capital-fights-back/

7. The Hindu (2020) ‘Air Pollution: Sonia Gandhi Shifts to Goa on Medical Advice’ https://www.thehindu.com/news/national/air-pollution-sonia-gandhi-shifts-to-goa-on-medical-advice/article33140498.ece

8. Indian Express (2021) ‘Assembly Elections 2021 Live Updates’ https://indianexpress.com/article/india/assembly-elections-2021-live-updates-west-bengal-kerala-tamil-nadu-puducherry-assam-7250933/

9. BBC News (2019) ‘Delhi Pollution- The Bar Selling Oxygen to Choking City.’ https://www.bbc.co.uk/news/av/world-asia-india-50502972

10. Pai, M. et al. (2020) ‘India’s Syndemic of Tuberculosis and COVID-19’ BMJ Editorial https://gh.bmj.com/content/5/11/e003979

11. John Hopkins University CSSE Covid-19 Data (2021) https://github.com/CSSEGISandData/COVID-19




	

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s