[Tarajal, Ceuta] Uma História Verdadeira de Migrantes e do Governo mais progre da história d’España

Sem dúvida as imagens que se reflitem nesta vinheta da moça da Cruz Vermelha atendendo com toda sua empatia a um home exausto, junto a das do herói picoleto com um bebé no seu colo libertándo-lhe das aguas da praia de Tarajal (*), de tam tristes e vergonhentas lembranças para os membros desse corpo armado, constituem a estampa mediática que mais interesa ao Governo mais progre da história d’España, tal como se autodefine o governo atual de PSOE-Unidas Podemos.

Interesa e muito às hipócritas Podemitas que estavam na oposiçom na altura dos acontecimentos vividos em fevereiro de 2014 nessa mesma praia do Tarajal quando foram assassinadas 15 pessoas a mãos de pistoleiros da Guarda Civil. A essas que por entom, co galho de ganhar protagonismo social (e votos), mesmo chegaram a fazer um ato de homenagem no Congresso español às 15 pessoas mortas no sucesso -vítimas segundo elas- e colocaram-se à cabeça dos protestos que exigiam do governo de Rajoy que se aclarara a tragédia do Tarajal… essas que som as mesmas que, agora no Governo, sem dúvida goçarám observando coma se desvia a atençom mediática cara às declaraçons xenófobas de fascistas da corda de VOX e assim safar elas dos focos coma se o que se passa nom fosse nada com elas.

Nom é minha intençom ao escrever isto restar-lhe importância as declaraçons de neonazistas e outros elementos de baixa estofa, mas sim tratar de focalizar as culpas a quem corresponde; porque a situaçom que se vive estes dias nas fronteiras de Ceuta e Melilla nom mudou o mais mínimo desde há anos; valados seguem altíssimos e cheios de concertinas afiadas que mutilam os corpos e cortam a vida; os picolos fronteiriços – agora que já nom podem disparar-lhes com suas armas de fogo- seguem a tratar a quem queira cruzar a raia coma um estorbo, coma um bicho molesto ao que há que empurrar contra as rochas, patear-lhes coas suas botas militares de ponta de aceiro ou tirar-lhes ao água para que afoguem (ver vídeo de abaixo e convido a prestar ouvidos às palavras da presunta jornalista de Faro Tv no minutagem 1’20” quando assinala aos militares espanhois “desbordados” coma as VÍTIMAS PRINCIPAIS duma autêntica OFENSIVA HISTÓRICA).

Na atualidade é o autodefinido governo mais progre da historia d’España quem enviou as suas tropas armadas e seus tanques de guerra para tratar de deter as avalanchas de refugiadas e devolta-las a Marrocos para eludir o problema. Nada novo farám para atopar uma soluçom para estas pessoas que fugem da fome, da miséria e das guerras que provocam esses mesmos governos da Europa que lhes fecha as portas às suas ánsias de vida. NADA! porque na realidade nunca importou-lhes NADA a vida destas gentes.

Focalizar a problemática nas declaraçons de fascistas e xenófobas é o milhor é o mais fácil para distrair o foco de atençom, entanto pasmas, picolos e exército baixo as ordes do governo mais progre da historia d’España impedem que estas pessoas poidam optar por uma vida mais digna e cujo “único delito” para ser maltratadas assim, seria ter nascido em zonas deprimidas e empobrecidas do Planeta por causa dos “bos cristãos europeus” que levam expoliando essas terras desde há já séculos.


(*) Informaçom sobre os sucessos do Tarajal de 2014 e outros atos heróicos de picolos nas fronteiras nesta minha bitácora e no blogue de Abordaxe

– [Raia Ceuta – Marrocos] Assassinados, quanto menos 10 pessoas pola Guarda Civil quando tentavam cruzar a raia.
A Guarda Civil, o Arsenio e a Noite Europea
[Ceuta] Interior admite agora, despois de negalo rotundamente, o uso de pelotas de goma, cartuchos de fogueo e botes de fume contra os migrantes pero só para “disuadir”
– Arquivadas dúas causas de Garda Civís implicados na morte de migrantes
[Ceuta] 3 mortes máis na fronteira: “Cheguei con máis compañeiros a través da auga, pero a Garda Civil golpeounos e entregounos a Marrocos”
A impunidade da violência policial leva prémio: Condecorados os 8 gardas civís que malharom num emigrante no valo de Melilla
[Tarajal, Ceuta] 5º cabodano do assassinato impune de 15 migrantes a mãos da Garda Civil (vídeos)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s