Arquivo mensal: maio 2021

[Israel -España] ATOPA AS DIFERÊNCIAS (se é que as há).

Israel segue a bombardeiar impunemente Palestina, assassinando povoaçom cívil, muitas delas minores de idade.

España entretanto, sob o governo mais progre da sua história, envia às suas forzas armadas para deter e encirrar e mesmo “devolver” as miles de refugiadas migrantes que saltaram ontem a fronteira com Marrocos por Ceuta, muitas delas minores de idade que, coma suas maiores, fugem da fome, das guerras e da morte.

ADIVINHA, ADIVINHANÇA …

Qual foto crês que é de cada qual?? Tendes minha palavra de que cada uma reflite uma ou outra situaçom.

Para aquelas que prefirem manter-se na sua Ignorância. Reflexom x Eva García Pérez

Com o permiso da autora, colo acá, uma vez traduzida, a sua reflexom:

Dissonância Cognitiva ?? Medo ?? Não… Não é isso… A gente não quer ouvir… Não quer ver… Por isso não lêem nenhuma publicaçom que lhes faga sentir a incomodidade de ter que se mover de seu sofá, de brigar polos seus direitos,… nem tam sequer se movem polo que lhe estám a fazer a suas crianças…

Esta gente rebate-te procurando em Google que alguma das suas páginas de Merda lhes diga o que querem ouvir, e assim voltar a deitar as suas consciências comodamente no seu sofá.

Se lessem algum relatório – páginas oficiais de estatística, declaraçons das milhares de cientistas que se estám a pronunciar valentemente, inclusive daquelas que trabalharam na elaboraçom do veneno transgénico – isso poria em evidência a sua falha de coragem para se pronunciar no trabalho, ou no colégio de suas crianças.

Não lhes interessa saber se é verdade, nom vaia a ser que ponha em risco a sua própria ética…

Ler tamo só um pouquinho faria-lhes ver o evidente, e enfrentaria-lhes a sua própria covardia…

Por isso é que se refugiam entre a sua própria Merda, porque é onde unicamente se sentem a gosto.

“A política esquerdista do castelo de papel machê” x Acratosaurio rex

Recolho, (traduço), e colo uma vez mais, esta estupenda análise do Acratosaurio rex na web Alasbarricadas.org

Tereis observado que desta volta não digem res em torno da abstençom nas eleiçons em Madrid. Figem o firme propósito de não ler nada das desbarras políticas alentando ao Voto do Medo. Não lim imprensa, análise, nem inquéritos, mais que nada por não atopar reproches à abstençom, já que de ser assim atoparia-me em situaçom de ter que respostar, e queria evita-lo por saúde mental. Não si?.

Pois bem, já tendes os resultados das eleiçons em Madrid. Já sabedes o que se passou com quem diziam que havia que frear ao fascismo votando. Caráfio!, que o levam dizendo quanto menos desde fai dez anos, e quantas mais eleiçons há e quanto mais voto se pede, mais fascismo há nas instituiçons. Mais que votar para frear ao fascismo, parece que se vota para que tenha fascistas. É mais, o fascismo parece bem alimentado nas diversas democracias. Há ultradireita na Áustria, na Alemanha, na Finlândia, na Hungria, por todas partes. Inclusive esse ultranacionalismo do que se nutrem os fachas é o alimento habitual de milhons de pessoas na Holanda, Reino Unido, França, Itália ou EEUU. Eu tenho chegado a pensar que quem pediam frear ao fascismo mediante o voto, o que na realidade estavam a desejar é que aparecesse duma vez, para que España fosse dalguma maneira, uma democracia de corte europeu.

Sejamos claras, cientistas, empíricas: quantas mais eleiçons há, quanto mais clama-se contra o fascismo, quanto mais tilda-se de tontos, cocainómanos, pirados, ladrons e maus gestores às direitas coligadas com Deus, Pátria e Rei, menos republicanas progressistas assomam. E isso só pode levar a uma conclusom: que o fascismo avança, não porque a gente se abstenha. O fascio avança porque a esquerda não convence.

A esquerda parlamentar, a de verdade, a que governa, não consegue convencer a uma enorme massa de abstencionistas, na sua maioria pobretonas, do seguinte: de que seu voto serve para algo. É assim de simples: uma limpiadora que está a botar sessenta horas à semana numa subcontrata, e que ganha 600 euros ao mês e que cotiza por trinta, com uma semana de férias ao ano, caso real… Tem que ter muita fé para ir votar a uma gente, que ganha mais que ela, que vive melhor que ela e que ano após ano demonstram que governam para a gente rica em linhas gerais, já que à hora de arrecadar, esmagam nas pobres sem maiores miramentos, enquanto lhe contam com olhos de manga japonês, que só pensam neles e nelas.

O problema da esquerda, um deles, é o seguinte: a arrecadaçom do Estado, sai do peto das trabalhadoras. E o Estado do Bem-estar e seus Rendimentos Mínimos Vitais, som decorados de adereços, castelos de papel cuchê. E esse engano, evidente, tem que vos passar factura eleitoral, e viva a virgem para os políticos que vivem adossados, à nómina, ao discurso e ao cargo.

De mortes evitáveis e estratégias comerciais.- O caso do militar vacinado e morto.

“VACINAS trazem muitos mais BENEFÍCIOS do que RISCOS” .- Insistem nos meios pandémicos em dar voz só a cientistas covidianos, a falsas profetas da saúde e demais falabaratos para que repitam coma um mantra esta obviedade.

POIS VAIA ARGUMENTO POBRE!!

JÁ SERIA O COLMO QUE FOSSE À CONTRA!!

Eu nom sei de nenhum medicamento da Farmáfia ocidental -por muitos efeitos contraindicados que figurem no seu prospeto- que produz mais DANOS que Benefícios; mais que nada porque de chegar a passar tal, seria retirado o produto do mercado tam pronto coma os casos sairam á luz (por suposto, nunca graçás aos falsimédios cûmplices) ou quando desde essas fábricas da morte e da mentira nom poideram seguir evitando que se souvera a verdade a cada dia mais; com o que este produto de laboratório com “patente de exclusividade” deixaria de ser um negócio para essas empresas com muito ánimo de lucro, tal qual som as farmacêuticas.

Um home são, na flor da vida, que ia ser pai em breves, agora fica MORTO. Uma outra “CAUSALIDADE” que nos pretendem fazer passar por “CASUALIDADE”.

O que eu nom acabo de entender deste caso é que, desde que se souvo que havia vários casos de mortes registradas tras ser vacinadas pessoas sás com algum destes preparados farmacêuticos; em todos os falsimédios sairam presuntas expertas a largar polas suas bocanchas que há um tratamento específico para aplicar de maneira imediata sobre as que sofram trombos ou outras complicaçons tras ser injetadas. Existem, desde a Declaraçom Universal da Pandemia e a postérior Imposiçom Forçada das Vacinas, infinidade de artigos de imprensa onde se indica como afrontar estes “casos anedóticos e infrequentes”. Cabe supôr que, estando assumida esta situaçom nas clínicas, hospitais, sanatórios, e demais locais colaboracionistas coas farmacêuticas, e pola maioria de suas profissionais da saúde… Como é que, neste caso, nom cumprimentaram com essa rutina para salvar-lhe da Morte??

Que venham agora Anarrosas, Ferreras, Anapastoras, Ristosmeijides ou Jordisevoles ou qualquer outra presunta jornalista a dizer-lhe á sua dona e amizades e familiares, que o dele foi só COISA de MÁ SORTE, que lhe tocou a LOTARIA do MILHOM e… Passamos a um outro tema de atualidade… Segue a busca desesperadas do pai de Tenerife e suas duas filhas… Mas denantes de dar passo à nossa enviada especial nas Ilhas Canarias imos a PUBLICIDADEDiazepám, trankimazín, lexatín, valium, lorazepám… toma-te um ou vários cada 2 horas e vivirás feliz o resto da tua vida… pilím, palám… Isto é um conselho das autoridades sanitárias… patatám, patatím e assim até o fim.

E convém lembrar agora, uma vez mais, o publicado no artigo 6 do Acuerdo entre la Comisión Europea y los Estados miembros sobre vacunas contra la COVID-19, hecho en Madrid el 20 de julio de 2020 publicado no «BOE» núm. 211, de 5 de agosto de 2020:

Art.6 RESPONSABILIDAD: Los Estados miembros participantes que adquieran una vacuna serán responsables de su distribución y uso en virtud de sus estrategias nacionales de vacunación y asumirán plenamente la responsabilidad que conlleve dicho uso y distribución. Lo anterior se hará extensible a la exoneración de los fabricantes de vacunas en virtud de los términos y condiciones del APA pertinente por la responsabilidad derivada del uso y de la distribución de las vacunas que habitualmente asume dicho fabricante

Em fim, desde a direçom da orquestra mediática já há quem propus que em troques de seguir coa campanha “YO ME VACUNO SEGURO”, muda-la por uma outra que diga “SEGURO OU INSEGURO, YO ME VACUNO, TODO POR LA PATRIA”.

Yoyoli Díaz a Ministra BIPOLAR

“Ahora toca cumplir. Un país en deuda con sus trabajadores y trabajadoras” foi o lema baixo qual desfilaram as agrupaçons sindicais da UGT e CCOO e lá estivo ela sempre sorrinte participante nos protestos da capital española, nessa cidade na que nossa Yoyoli sinte-se tam bem acolhida.

Durante o peculiar “passeio das enmascaradas” neste ano covidiano, nossa Yoyoli declarou sorrinte aos mentideiros sentir-se “feliz de estar en el Día de los Trabajadores en la calle, como he hecho siempre desde que soy niña.

Yoyoli lembra assim alvoroçada aqueles seus anos infantes nos que as ruas de Ferrol ano sim, ano tamém, tinguiam-se de sangue operária. Eram tempos de luita quando seu pai e seu tio -junto muitas outras luitadoras antifranquistas- iam na primeira linha da frente jogando-se suas vidas contra da polícia armada, “os grises” (a polícia nazional franquista, essa mesma que desde entom só se modificou na cor das suas vestimentas: de gris, de azul ou de marrom, um cabrom é um cabrom”).

A ministra de Trabajo, Díaz, pola sua banda, afirmou moi séria e responsável, ao tempo que se desvinculava do protesto, que “hoy el protagonismo lo tienen los trabajadores y representantes sindicales, es de ellos”.

Há quem di, que tras rematar o desfile oficialista madrilenha do Governo, a sindicalista Yoyoli e mais a ministra Díaz celebraram um encontro a porta fechada para evaluar a força dos protestos e a capacidade de chegar a novos acordos com os sindicatos maioritários para que estes segam sendo os únicos que poidam assinar concertos com os grandes empresários e continuar facilitando o despido livre e barato, manter as cifras do paro juvenil para seguir mantendo-se líder destacado na Europa com um espetacular 37’7% entre os minores de 25 anos e mirar se consiguem deslocar a Grécia do 1º posto na tasa de paro geral da que agora somos 2ª (*).

—————————————-

(*) Nota.- Segundo dados oficiais na atualidade há um total de 4 milhons de pessoas registradas no INEM coma desempregadas, mas que na realidade sumam mais de 6 milhons (nesse monto nom se incluem as caseque 1 milhom de afetadas por ERTE, meio milhom de autónomas em situaçom de cese de atividade ou as mais de 400 mil demandantes de emprego com disponibilidade limitada ou as perto de 300 mil pessoas sem emprego derivadas a realizar absurdos cursos de formaçom que rara vez valem para algo mais que baixar artificiosamente as cifras de demandantes de emprego)