O infame e selvagem pecado do fanatismo religioso

O escritor e aventureiro Alberto Vázquez Figueroa escreve no seu livro Un Mundo Mejor esta imensa reflexom sobre o sentimento religioso das étnias amazónicas do Rio Xingu (afluente do grande rio pola sua margem direita) que traduzim e colo:

Nas tribos amazónicas do Xingu (xingus, xavantes,…) costuma-se dizer:

Se tentas impor ao teu deus pola força, esse teu deus é falso, já que o verdadeiro não precisa da sua violência para demonstrar quem é. Se alabas em excesso a teu deus, assegurando que é o único verdadeiro, esse teu deus é falso, já que o verdadeiro está tam alto que não precisa louvanças. E se utilizas as armas para defender ao teu verdadeiro deus, estás a ofender-lhe, porque ao fazê-lo consideras que não é o suficientemente forte como para se defender por si mesmo”.

Para as nativas daquelas selvas o conceito de ser supremo está muito acima do conceito religioso, já que consideram que as religions não som mais que um sibilino invento do demo. Segundo elas quando o Anjo negro se rebelou contra o Criador, chegou à conclusom de que jamais poderia vencer-lhe já que suas seguidoras estariam em minoria, polo que decidiu que sua única esperança de êxito se baseava na possibilidade de dividir as forças de suas inimigas. Por isso adicou-se a tentar ás pessoas, não com o poder, a ambiçom ou a luxúria, pecados todos pessoais, disculpáveis e passageiros, senão com a astuta promessa de que se adoravam a um deus determinado e defendiam até as últimas conseqüências a sua fé, atingiriam o paraíso e uma suposta vida eterna que até esse momento ninguém lhes prometera.

Com esta sua açom propiciou o nascimento de diferentes religions, cuja razom de ser não era outra que conseguir que os seres humanos se odiassem e matassem em nome de um determinado deus, esquecendo-se de que o verdadeiro deus não precisa nome.

Se, segundo essa lenda indígena, o que o demo pretendia era fazer dano, o conseguiu plenamente.

O infame e selvagem pecado do fanatismo religioso é o único que se transmite de geraçom em geraçom e afecta por igual a todos os povos e todas as etnias.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s