Arquivo da categoria: anarquismo

As mentiras de Rajoy e os 60.600.000.000 € do erário público regalados á Banca que nunca voltarám.

Mariano Rajoy é home de fe cristiã e por isso agora deve sentir-se como S Pedro quando, segundo contam nos seus livros, negou por 3 vezes ser fiel ao seu Deus. Mas crio que Mariano ainda tem mais mérito porque, segundo contam as malditas hemerotecas, negou muitas mais de 3 vezes ser-lhe fiel ao seu verdadeiro Deus: O Dinheiro e aos seus templos de oraçom: A Banca Privada com muito Ánimo de Lucro.

Quando ontem foram detidas 9 pessoas acusadas, entroutras coisas, de rachar luas de caixeiros automáticos e vidrieiras de entidades bancárias privativas, entendim que Mariano e seu capitam com praça em Compostela, Agustín Hernández Fernández de Rojas, estavam por fim dando a cara polos seus e voltando ao rego da sua fe no Gram Capital depois das suas múltiples declaraçons nas que negara que o resgate europeu á Banca espanhola nom teria impacto sobre as contribuintes.

Hei eiqui um repasso da hemeroteca que atopei sem grandes dificultades:
Continuar lendo

O Capitalismo é o Terrorismo: Confirmado.- O lume da “Torre Grenfell” de London foi por causa do aforro de costes em material

“Eligirom esse material para que luzira mais bonita para os ricos, e agora esse material matou aos pobres. Nom lhes importavam os centos de pessoas que viviam lá”

Administradores do edifício aforraram 6.000 € para nom utilizar um revestimiento anti-inflamável; essa foi a causa principal das 79 pessoas mortas ou desaparecidas confirmadas até agora (apenas saem a 75 € por morte). As obras nom buscavam subsanar as deficências detetadas e denunciadas pola vizinhança (incluido o risco de incêndio) senom que só pretendiam embelecer seu exterior para que nom desluzira em Kensington, o bairro mais rico da Grã-Bretanha e paraíso de oligarcas rusos, jeques do Golfo e milhonários de todas partes do mundo.

mesmo os grandes falsimédios que nom gostam de fazer-lhe ás beiras á direitona (pois prefirem fazer-lhas á pola direitosa da socialdemocracia) falam sem pudor e rubor de que foram causas económicas ás que levaram a esta tragédia que afeitou a esta torre de vivendas sociais ubicadas no médio do bairro. De pensar mal poidera ser um plano diabólico de gerintrificaçom que daria para o argumento dum filme de nom-fiçom.
Continuar lendo

O Capitalismo é o Terrorismo!!! – As causas do lume na torre Grenfell de London apontam deficiências estruturais denunciadas polas moradoras e que as autoridades se negaram investigar

Era um prédio de pobres, cheinho de migrantes; alguns médias apontam que no edifício moravam 125 famílias, cerca de 600 pessoas, num total de 24 andares, muitas delas crianças, muitas delas de origem arabe e doutros lugares do mundo que sofrem desde há seculos os efeitos da avarícia, da acumulaçom e da rapinha ejercida polos paises ocidentais desenvolvidos. Eram as 01 horas, 45 minutos (hora local) desta quarta-feira 14 quando, entanto a gente já durmia na sua maioria, o lume começava no quarto andar e de ai propagáva-se rápidamente pola torre Grenfell de London e ardia praticamente na totalidade. O balanço necrológico provisório fala de pelo menos 12 pessoas mortas e de 68 que continuam a ser assistidas nos hospitais da cidade, das que, pelo menos 18, encontram-se em estado crítico.

“Pronosticamos que umha catástrofe como esta seria inevitável em questom de tempo”.

Ainda nom se conhece o que esteve na origem deste incêndio mas tudo aponta as más condiçons de segurança do edíficio. Umha vizinha contou á BBC que as alarmas antincêndios nom soaram e que ela acordou do seu sonho graças aos golpes que um vizinho deu na sua porta: “As alarmas nom soavam, pero foi aterrador a rapidez com que o lume se extendeu do quarto andar até o 23”, relatou. Supostamente os bloques habitacionais estavam desenhados para conter qualquer lume sem que afetara aos outros andares, algo que claramente nom aconteceu.

Essas deficências já foram denunciadas durante anos polas moradoras da torre Grenfell á empresa proprietária, Kensington and Chelsea Tenants Management Organisation (KCTMO), sem terem no entanto qualquer resposta ou umha soluçom viável: “Fizeram caso omisso a todas nossas advertências”, denúncia o coletivo vizinhal “Grenfell Action Group” na página web que criaram e na que trasladavam regularmente suas preocupaçons ás autoridades quanto menos desde 2013 e onde documentavam os problemas do imóvel co galho de denunciar os graves danos estruturais que aventuravam graves perigos latentes no edifício.

“Advertimos dos perigos do edifício, incluido o risco de incêndio, pero as autoridades negáram-se a investigar”. David Collins, expresidente do “Grenfell Action Group”.
Continuar lendo

A Corunha Libertária – Roteiro “A livre-geografia”

Falo desta jornada ubicada dentro das exitosas Jornadas de Recuperaçom da Memória Anarquista da Corunha -e digo exitosas polos múltiples comentários que escuitei no dia do Roteiro- porque foi a única á que puidem acodir por celebrar-se na jornada do sábado. E foi um desses dias que, sem dúvida, ficará gravado num lugar especial da minha memória.

As fermosas e, ás vezes moi tristes, palavras do seu condutor Manuel Rivas, em lembrança dos feitos repressivos acaecidos nas diferentes paragens nas que fumos fazendo etapa; a música do meu gaiteiro favorito e seu escudeiro tamboril acompanhando os trajetos entre umha e outra paragem; as colagens de cartazes lembrando ditos sucessos; a cordialidade e bo clima de toda quanta gente de idades moi diversas nos juntamos; a palestra final de Pastora nas portas do velho cárcere e mesmo a paelha do Bugui, constituirom umha moi grata jornada de reivindicaçom e luita rodeada de moi boa companhia. Tamém destacar a boa fazeta do compa de Galiza ContraInfo á hora de cobrir tal evento e publicar este seu resultado:

Continuar lendo

O estranho caso da organizaçom terrorista anarquista sem terroristas nem organizaçom x Alejandro Torrúsn

Ás vezes nos média comerciais atopas informaçons que tu mesmo assinarias fazendo apenas algumas modificaçons pontoais. Este é o caso deste artigo, autoria de Alejandro Torrús, colgado no jornal digital Público e que colo traduzido:

O recém arquivo do caso Pandora I pom em questonamento as macro-operaçons dos Mossos, Garda Civil e Polícia Nacional para desativar umha presunta organizaçom terrorista anarquista que estava em condiçons de atentar no estado espanhol.

Madrugada do 16 de dezembro de 2014. Exatamente as 5:30 a.m. Centos de agentes dos Mossos d’Esquadra (ao redor de 500) desprégam-se em 14 locais e casas de Barcelona, Manresa e Sabadell. Os registros tamém chegam a um domicílio de Madrid. A operaçom está dirigida pola Divisom de Informaçom dos Mossos e está cordinada pola Audiência Nacional. É a Operaçom Pandora I. Onze pessoas som detidas e sete delas entram rapidamente em prisom incondicional. Os cargos som duríssimos.

O magistrado da Audiência Nacional Gómez Bérmudez atribúe-lhes a comissom de delitos de constituiçom, promoçom, direçom e pertença a organizaçom terrorista em ilaçom com delitos de tenência e depósito de substâncias ou aparelhos explosivos e danos e estragos com finalidade terrorista. A nota de imprensa que os Mossos d’Esquadra remitem aos médios falam da desarticulaçom de “umha organizaçom terrorista de cariz anarquista á que se lhe atribuem vários atentados com artefatos explosivos”. Continuar lendo

Erre que erre coa virgem gaditana e as hipócritas podemitas

Teresa Rodríguez, a cacho comunistarra de Podemos Andalucía, ubicada no seitor podemita sinalado como o mais radicaloide, suma-se a defensa da entrega da medalha de Cádiz á Virgem do Rosário feita polo seu moço e alcaide Kichi.

Vela aqui e escuita-la dá nojo pero nom imos a silenciar tal cúmulo de estupidez humana:
Se o Pablo Iglesias já a pifiou querendo entender e justificar co seus aires de grandeza capitalina que nom foi quem de entender a jogada aldeã de Kichi, o de Tere é de traca.
Continuar lendo