Arquivo da categoria: criaçom literária

5ª feira, joves 19 ás 20 hs no CSA do Sar: Apresentaçom da ediçom galega do livro “Requiem por unha viaxe sen retorno” de Nikos Romanós

Recebo na minha caixa de correios esta convocatória de “algunhas Individualidades Anarquistas” que seguem na brecha do projeto informativo anarquista galego “Abordaxe”. De feito tudo o recaudado irá destinado a financiar seu novo projeto editorial Abordaxe.org que já está ativo na rede e onde ficam a disponibilidade de quem quiger vários artigos, resenhas e mais as diversas publicaçons que se foram editando em torno a “Abordaxe” (revistas, boletins e mais material) e que segundo o que apontam na sua web som “froito da necessidade de confrontar e gerar ideias e debates-chave numha realidade na que naufragamos presas da democraticidade e o mercado das opinions, e da intençom de investigar e recuperar a memória respeito das luitas contra a dominaçom e dos tecidos comunitários e autogeridos que ligarom Galiza e outros territórios do mundo durante longo tempo”; e dentre suas prioridades está sua intençom de plasmar esta tarefa a través das suas publicaçons que editam “para fornecer estas luitas no presente, e por suposto, visibiliza-las”. Tudo elo encaminhado a reformular o projeto Abordaxe como editorial, mantendo tamém a revista, que é onde milhor e com mais sanha destripam o cadáver desta sociedade autoritária e onde mais alegremente passam pola quilha os princípios que a sustentam.
Continuar lendo

Anúncios

5ª feira, joves, 5.- PALESTRA de Gabriel Pombo no CSA do Sar: “A Loita Anarquista Dentro e Fora das Prisións”

Por fim imos contar coa presência de Gabriel Pombo da Silva em Compostela e no CSA do SAR. Depois do falhido intento de traze-lo junto a sua compa Elisa di Bernardo numha Jornada Antiautoritária polo Guerra Social que ia ter lugar em sábado 10 de junho (quando fazia um ano da sua saida de prisom) e que tivo que ser suspensa porque a gente envolvida no despejo do CSOA Escárnio e Maldizer, sem ter para nada em conta dita moi interesante convocatória, nom tiveram milhor ocorrência que convocar para esse mesmo dia e horas (quando já estava convocada dita Jornada e como se no almanaque e no relojo nom houvera outros dias e horas) a sua fatal convocatória de manifa com destino final em comissaria ou nos julgados (bom o protesto rematou coa falhida toma do Peleteiro) e um bo feixe de multas.

E assim, no vindouro joves 5 de Outubro ás 20.00 horas, Gabriel Pombo da Silva estará com nós no CSA do SAR para falar sobre a nova ediçom ampliada (inclue umha série de escritos selecionados especialmente polo própio Gabriel) do seu livro “Diario e Ideario de un delincuente… y otros textos” numha palestra organizada de maneira conjunta por Mërda Distro & Castrexo Punx e o CSA do Sar.

Colo acá o publicado na rede sobre esta convocatória e animo desde acá a assistir á palestra deste compa anarquista que sofreu a repressom mais dura nas suas carnes durante várias décadas nos cárceres do Estado espanhol e da Alemanha:
Continuar lendo

Ardora (s)ediçons anarquistas – Nova editorial galega – Apresentaçom do nº1 da sua revista em papel

Ardora é essa fosforescência do mar que encandila e fascina a quantas a observam. Eu tivem a sorte de presencia-la várias vezes e esse nome trae-me evocaçons muito agradáveis que vivim e gocei com diferentes pessoas importantes da minha vida; desde jogos submarinos e mergulhos noturnos com aleivosia até mesmo duvidosos avistamentos triposos de golfinhos luminescentes.

As compas envolvidas neste novo projeto optam por esta palavra marinheira que vem a sumar-se a este prolífico mar informativo do anarquismo galego nom organizado. Entre as páginas deste seu 1º número, suas editoras ofertaram-me publicar o meu texto (já feito público acá) “Nom som Bosques que som Cultivos. As plantaçons de Eucaliptos e Pinheiros som um perigoso combustível”, ao que acedim e além tamém ofertárom-me publicar nos seguintes números da sua revista, polo que aproveito esta entrada na minha bitácora para agradecer-lhes tal convite.

Vos colo acá a sua Editorial e convído-vos a vissitar sua, recém aberta, página web onde tendes mais e milhor informaçom
Continuar lendo

Homenagem a Iosu Expósito – Eskorbuto – no seu 25 cabodano. Amor fraterno

Um dos meus irmãos, Jesús, é o autor deste magnífica e magna homenagem a Iosu, guitarra e segundo cantante do grupo punk vasco Eskorbuto. “Ya No Quedan Mas Cojones Eskorbuto A las Elecciones”. “El rock no tiene patria, ni siquiera la vasca”

Assim apresenta na rede seu trabalho recolhido num surpreendente vídeo-criaçom, autoria de Violet Vox (que é quem sae no vídeo de quando em vez): “Em 31 de Maio cumpriu-se o 25 aniversário do passamento de Iosu Eskorbuto. Nunca saberemos o ke nos poderia ter deixado se nom se tivera ido tam pronto. Só sabemos o ke nos deixou: o punk mais lúcido, honesto e raivoso de todos os currunchos deste puto planeta. Agora e sempre Eskorbuto presente! Com todo o amor e respeito para sua família, em especial Unai e Jose”.
Continuar lendo

OXALÁ PUDÉSSEMOS EXPULSAR A EUROPA DO CONTINENTE EUROPEU.- Apologia da Deserçom x Pedro García Olivo

Sabes? Depois da Deserçom, transcorreu um tempo
em que se prestava tam pouca atençom a si mesmo
que as suas ideias pasávam-lhe case desapercebidas;
e tinha que apresa-las cada noite ante o papel
para nom equivocar-se de pensamento polas manhãs
e lembrar aproximadamente
quem era esse que acordava no seu corpo…?
De “El irresponsable”

Di o meu Documento Nacional de Identidade que eu som espanhol, súbdito dum Estado que forma parte da Uniom Europeia.

Nom som tal! Nom quero ter nada que ver co que fai Europa contra boa parte do resto do mundo: massacres, genocídios, etnocídios!

Eu nom pecho as portas da minha morada ás gentes doutras terras; eu nom temo ás emigrantes, porque sego emigrando dentro de mim e nom figem umha outra cousa mais que migrar ao longo de toda minha vida.

Eu nom crio na parvoíce de votar cada x anos, para mudar de tiranos, de déspotas ás vezes remoçados, de aspirantes a amos que Si Podem.

Eu nom admito mais naçom que o caminho; e atorménta-me que hoje os caminhos ofértem-se só como espirituais, quando nom como espirituosos, pois já se pecharom as sendas para as nómades de verdade.
Continuar lendo

Amnistia Fiscal de Montoro – Choio para amiguetes riquinhos??

Umha vez confirmada que a Amnistia Fiscal de 2012 de Montoro vem de ser anulada polo Tribunal Constituiçonal espanhol por inconstituiçonal e por legitimar o fraude. E umha vez que a sentência sinala que a amnistia “vem legitimar como opçom válida a conduta de quem, de forma insolidária, incumprirom seu dever de tributar de acordo coa sua capacidade económica, e vírom-se numha situaçom mais favorável que a de quem cumpriram no seu prazo suas obrigas contribuitivas”.

Tendo em conta isso e sobretudo o matiz de que, pese tudo, o T.C. avala e dá por boas as declaraçons feitas polos mais de 31.000 defraudadores beneficiados dessa amnistia de 2012 que permitiu-lhes regularizar o dinheiro evadido pagando só o 3% do total das quantidades eludidas e sem intereses de demora, nem recargos adicionais, nem investigaçons penais, a jogada de Montoro só pode ser considerada como um exitaço para os seus. Visto o visto, agora fontes jornalísticas de prestigio (ver foto adjunta) sinalam que Cristobal Montoro prepara umha outra Amnistia Fiscal para resarcir de danos aos seus amigos e a quantidade de famosos que se estám descobrindo nos últimos anos como defraudadores de muitos milhons. A publicaçom da lista de afortunados é aguardada com ilusom polos proprietários das grandes fortunas, com essa mesma fantasia de quando crianças esperavam a chegada dos regalos dos reises magos e papa noel.

Para desmemoriadas colo acá o vídeo gravado quando fora anunciada por Rajoy e Montoro a 1ª Amnistia Fiscal; se bem as nossas fontes já nos avissarom de que a 2ª promete ser muito milhor preparada e mais abondosa e generosa, de tal jeito que quando o T.C. nom tenha umha outra que declara-la tamém nula poderá avalar as novas declaraçons que, nesta volta, só vam ter que pagar menos do 1% do roubado: Continuar lendo

“Guiom para banda desenhada, se quadra…” Meu aporte á Revista Abordaxe nº6. Já nas ruas!!!!:

As minhas compas de Abordaxe! já figerom público no seu blogue (acá) a saida ás ruas do último número da revista em formato papel, o nº 6!!, na sua entrada tendes acesso ao texto editorial e mais ao índice dos contidos e os modos de fazer-se com um ejemplar (com os pontos de distribuiçom gratuita) e mesmo umha sua ligaçom para poder lê-lo ou imprimi-lo em formato pdf. Desde acá vos convido a vissitar seu blogue para saber mais, da revista e do que quiger. Mas tamém fago público acá, agora que já está editado e publicado, o meu aporte para este número:

Guiom para banda desenhada, se quadra…

Día: 6 de janeiro de 2048 (Ano100000000000 no calendário binário )
Hora do vermut
Lugar: Compostela (pode ser adaptado para qualquer outra cidade do mundo)

Cena 1 a representar em vários quadrinhos segundo avança a conversa (os pitidos do telemóveis podem dar o passo dum a outro):

Mesa baixa bar Medusa, um home e umha mulher conversam sentadas em torno a uns copos médio cheios (ou médio vazios), cada quem tem nas suas mãos os seus telefones móveis última geraçom (nota para desenhadora: umha delas, a tua eleiçom, tem o tegrado configurado para pessoas esquerdeiras) e a carom de cada quem há umha especie de casco de moto com patas, as suas roupas nom difirem muito das que usam agora a gente “guapa” porque léva-se a moda retro do ano 2015: Nos planos dos sucessivos quadrinhos da sequência pode haver distintos enfoques; nalgum vem-se umhas mãos mecánicas sobre a barra, desde dentro, em atitude de preparar um coquetel.  Nom se vê nenhuma outra pessoa humana no local.

 Diálogo:
Continuar lendo