Arquivo da categoria: Universidade

Desmemória histórica ou ignorância sistémica

Lembro que há já bem anos, quando as lutas nas ruas contra a entrada do estado espanhol na OTAN, que as jovens estudantes faziamos burlas e risas da ignorância manifesta a nível geografia e história dos amos do mundo, os ianquies. Era como umha espécie de vingança ante tamanha monstra de incultura por parte da gente do comum de aqueles lares e tamém dos seus prebostes e líderes de opiniom. Como monstra de tal desconhecemento as gargalhadas que nos provocaram vários medios e televisons ianquies quando confundiram a ubicaçom da ilha caribenha de Granada e a publicitaram nos mapas da “Graná” andaluza; e se nom se seguem escutando hoje as risas é porque fora quando a ilha fora invadida, em outubro de 1983, por 1.900 marines norteamericanos baixo o mandato de Reagan sob a escusa de que seu povo representava umha “ameaça” á seguridade das estadounidenses residentes nesse pais caribenho, devido “á inestabilidade política” produzida tras um golpe de estado contra o seu presidente e lider esquerdista, o carismático procubano Maurice Bishop, assassinado só 6 días antes da invasom ianquie.

Hoje em día inda provoca risas a falsa notícia da conversa entre o capitám dum acorazado ianquie e um torreiro dum faro e miutas seguem a pensar que é certa.
Mas agora as novas geraçons (e nom tam novas) já acadaram a mesma especializaçom nos seus estudos e os seus conhecementos e já estám á altura dos amos do mundo em quanto a ignorância da própria história e umha boa monstra é este vídeo dum momento dum programa concurso que nom tem desperdício. Sinalar que um dos concursantes, o menos novo, di ser mago é o outro estudante de magistério infantil (pobres crianças que caiam na sua aula).
Continuar lendo

A fugaz resposta do reitor da USC diante dos assassinatos de duas mulheres

1482146287dsc00529_Já é habitual que, em horário laboral de manhá e preferentemente ás 12 em ponto do meio-día, os governos das instituiçons públicas fagam um ato mediático conjunto diante dos edíficios emblemáticos de cada localidade e de cara á galeria (e a imprensa, televisons e rádios comerciais). Na busca de que nom só saiam nas fotos as equipas regidoras e outras mandatárias, é costume que, desde as suas direçons e/ou presidências, se convide a todas as trabalhadoras desses entes a participar do mesmo; pese a que sabem que a essa hora é quando há mais gente ocupada nos seus postos de trabalho e com menos facilidade de ausentar-se do mesmo.

Ontem houvo na Galiza vários atos institucionais, e na sua capital, Compostela, coincidirom duas concentraçons de repulsa polos assassinatos das duas mulheres galegas; umha convocada polo governinho galego diante do edifício administrativo da Junta em S. Caetano e outra convocada polo governinho do Concelho diante do edifício consistorial e á que sumou-se a equipa de governo da USC.

O curioso do caso e o motivo desta entrada na minha bitácora foi constatar que na minha caixa de correio de trabalhador da USC recebim o 1º convite ás 12:18′ quando a hora do protesto institucional estava convocado para as 12:00′ (ver seguinte imagem que reproduz o correio que eu recebim e a hora de envio) Continuar lendo

A hipocrisia instituiçonal da equipa de governo da USC e a violência de genero

paraugas_771288_manual

Tal como contei numha entrada que assinei em 2 de setembro, em qualidade de trabalhador da “casa”, tirei de telefone para perguntar na OIX (Oficina de Igualdade de Género) ao respeito do Protocolo de prevençom e atuaçom fronte ao acoso por razom de sexo, orientaçom sexual e identidade de género aprovado em 29 de julho polo Conselho de Governo da USC (justo o dia depois em que a USC fazia público nos falsimedios a resoluçom do expediente contra Luciano Méndez). Na altura respostáram-me que de momento “nasti de plasti” sobre sua disposiçom pública para seu conhecemento; ao parecer segundo a pessoa da OIX que me atendeu (moi respetuosamente) ainda nom se publicara e que nom sabiam dizer-me quando estaria porque se estava pendente de atualizar com as propostas de modificaçom aprovadas e que sua publicaçom estava em mãos da Secretaria Geral da USC.

Há só uns días, passada a data sinificativa do Día Internacional pola Eliminaçom da Violência Contra as Mulheres, na que o governo da USC promoveu e participou de atos e “merchadisin” com tal ocasiom e mesmo tirou um seu comunicado, voltei querer saber que se passou com tal documento quando justo iam-se cumprir 4 meses da sua aprovaçom no Conselho de Governo; deste volta figem-no a través dum correio electrónico dirigido a OIX, mais que nada para ter constância por escrito da sua resposta, que chegou-me hoje e vos colo á íntegra:
Continuar lendo

5ª feira, joves, 3 de nov ás 09:00′ diante de Jornalismo: Concentraçom Solidária coas estudantes represaliadas pola USC

cartazconcenCo galho da celebraçom em 14 de março de 2013 dum Conselho de Governo, organo diretivo da USC, estudantes de diferentes estudos e faculdades decidira mobilizar-se para assim amossar seu rejeitamento polas medidas que estavam a adotar a universidade nesses tempos: recortes na educaçom pública, suba das taxas universitárias, reduçom da quantia e quantidade das bolsas de estudos que até entom davam cobertura a a centos de pessoas que, de outro jeito, nom poderiam aceder á universidade, etc.

As conseqüências nom se figeram esperar, e meses depois 12 estudantes eram citadas a declarar tras ser acusadas polo governo da USC, na altura sendo reitor o “independente” Juan José Casares Long, de ser as causantes de destroços no edifício e de agressom a algum dos membros da seguridade privada alá presentes.

Agora, 3 anos depois dos supostos sucessos dos que se lhes acusa a estas 12 pessoas, atopámo-nos coa desagradável sorpresa de que o governo da própria USC, agora nas mãos reitoras do “socialdemócrata” Juan Manuel Viaño Rey, quem foi concelheiro do PSOE em Boqueixom, decidiu continuar co procedemento judicial e fai umha petiçom de condena de 4 meses de cadeia para cada umha das imputadas e o pago dumha fiança de 1.400 euros.

As provas da USC contra estas 12 acusadas?
Continuar lendo

Resposta do estudantado da UAM diante da campanha mediática criminalizadora polo ato de boicote ao Sr.X dos G.A.L. e seu bo amigo de P.R.I.S.A. deprisa

felipe-facha O primeiro que quiger sinalar é que, na minha anterior entrada ao respeito, metim um tanto a zoca ao sinalar como convocantes á Federación de Estudantes Libertarios (FEL); e é por isso que hoje recolho nestoutra entrada as ligaçons a duas respostas do estudantado implicado no protesto (poderia ponher-las num comentário da anterior mas para que nom ficaram ocultas crim milhor adicar-lhe esta sua própria entrada); um é o texto publicado e defundido pola FEL que, no momento em que estou a escrever isto já recebeu 46 adesons de coletivos e associaçons e outras entidades políticas; e um outro é umha carta assinada por um estudante que estivo lá e que tira de alcume em previssom das mais que possiveis represálias legais e/ou académicas (*), que saiu publicada na web CTXT (ambas as duas estám em castelám):
Continuar lendo

Professorado de CC da Educaçom da USC em defessa do homófobo Domingo Neira

14485167_1315957761756706_2188678777879596640_n O escrache das estudantes de Ciências da Educaçom da USC denunciando as aulas com contidos homófobos do professor desta faculdade, Domingo Neira, foi julgado nesta 2ª feira tras as acusaçons formuladas contra 3 delas, Atanes, Mario e Antía, por desordes públicos e apresentadas nos julgados pola Secretária Geral da USC, Consuelo Ferreiro Regueiro e mais a Vice-decana de dita faculdade, María José Méndez Lois.

Co galho do mesmo, as estudantes implicadas tirarom um seu comunicado no que deitam algumhas das suas impresons (e que cópio e colo depois): se bem denantes eu quero deitar estas minhas ao respeito do ánimo posto, polas “autoridades” universitárias e suas colaboradoras necessárias, para castigar algumhas (só 3) das pessoas que, na sua qualidade de discentes, manifestaram mediante um protesto as atitudes homófobas na aula do docente:

Porque nom só foram a testemunhar contra de Antía, Mario e Atanes, a vicedecana e mais a secretaria geral da USC, senom que tamém se sumarom á festa várias professoras dessa faculdade (molava conhecer suas filiaçons), quem foram testemunhar ao juízo a prol de condenar a estas estudantes por “alterar ou impedir o normal funcionamento dum centro docente” em base a que, durante o escrache, se figera ruido e se interrumpira numha aula!!.

E pergúnto-me eu:

– Que classe de aulas se impartem nessa faculdade de CC da Educaçom onde prima o silêncio cumplice e o corporativismo idiota por riba de valores humanos como a igualdade por razom de orientaçom sexual??
Continuar lendo

Compostela 2ª feira, luns, dia 3 outubro ás 10 em Fontinhas: Concentraçom Solidária diante do juízo a Antia, Atanes e Mario por escrache ao homofobo professor da USC Domingo Neira

homosex-juizo Se o caso do professor de Económicas Luciano Méndez nom fosse suficiente para julgar a política do governo da USC de machista e misógina, nestoutro caso as açons tomadas pola USC contra Atanes, Mario e Antía é do que nom tem nome; porque se bem nom é melhor a atuaçom da USC contra as moças que se enfrontarom ao Luciano, esta limitou-se a ficar no submundo universitário sob a forma de expediente aberto que ainda fica pendente de resoluçom; entanto no caso que nos ocupa hoje, a atuaçom das membros da direçom na USC raia o esperpento ao apresentar umha denúncia nos julgados, assinada pola Secretária Geral da USC, Consuelo Ferreiro Regueiro, e a Vice-decana da Faculdade de Ciências da Educaçom, María José Méndez Lois, por desordes públicos e na que pedem condenas de prisom de 5 meses para cada quem. Umha atitude de cumplicidade coas teses do homófobo reincidente Domingo Neira que deixa a USC num plano vergonhoso e aborrecível; se bem, dadas as coisas como som, haveria que dizer que o atual governo da USC é machista, misógino e homófobo, além de patriarcal e corporastivista (rasgos estes últimos que sempre forom e seguem a ser “marca da casa”).

Nesta entrada recolho a petiçom das perseguidas e sumo-me á difusom do seu Comunicado assim como á denúncia geral deste novo caso repressivo diante do juízo que chega, na próxima segunda feira, dia 3 de outubro, data para a que está convocada umha Concentraçom diante dos julgados de Fontinhas às 10h para demonstrar que nom aceitamos que se persiga nem reprima a defesa, sempre firme, dos direitos e liberdades sexuais de todas as pessoas. Só o podemos lograr com o nosso apoio, deixando claro que se nos ameaçam, respondemos juntas. Vemo-nos ali !

Comunicado perante o juízo polo escrache a Domingo Neira
Continuar lendo

Luciano Méndez, Demetrio Peláez, a mesma luita!!!

dibujo Se algumha vez tivéstedes entre vossas mãos um ejemplar do tabloide compostelá (escrito em castelá) que leva por nome “El Correo Gallego” e se nalgum momento fuchedes quem de chegar até a última página (ou se bem sodes das que tendes costume de começar a mira-los jornais polo final) atopariades sem remédio a coluna apócrifa intitulada “polvoras, magnolias,… y sonrisas”. Para quem nom o saibades, dita coluna é autoria de Demetrio Peláez, redactor jefe do panfleto, ainda que a seçom “sonrisas” apareza assinada polo seu sósias “Florinda Campoamor”, suponho eu que porque o Demetrio se pensará que assinando com nome de mulher poderá tratar de minorizar as arrincadas machistas e misóginas que se despreendem dos supostos chistes (velhos e malíssimos) que recolhe da rede e publica sem rubor.
Continuar lendo

O decente docente Luciano Méndez.

hartas-de-la-testosterona-de-luciano_detalle_articulo O tabloide* compostelám por excrescência dava ontem, de novo, voz ao misógino Luciano Méndez com um seu artigo de opiniom que dirige ao reitor da USC e que titulou Señores, isto non é decente.

O primeiro que me chamou a atençom foi a cancha que lhe prestam, desde este pasquim, ao machota e mais se a comparamos com a case nula cobertura que lhe derom á concentraçom da quinta passada de diante do reitorado de dúzias de gentes solidárias com as alunas ás que se lhe abriu, desde o governo da USC, um expediente por protestar na aula pola atitude machista e intolerante do sujeito em questom; tema do que já fum dando conta nesta minha bitácora. Nem sequer enviaram um reporteiro gráfico á mesma!! E isso que tenhem a sua sede apenas a 300 metros. Fáise-me clara o posicionamento do mentideiro.

Mas já metido em faena crítica co texto do susodito; já o mesmo início do título di muito de quem é:“Señores”, em masculino, plural; quiçá na busca da cumplicidade corporativista, que have-la hai-na e muita na USC.
Continuar lendo

A USC vs Teteiros Ceives .- Segue a cumplicidade corporativista do reitorado o misógino Luciano Méndez

luciano7447540x0izda_755758_manualO reitorado da USC recorre a umha sua normativa aprovada durante o régime ditatorial franquista (ainda em vigor o que já di muito da qualidade de ditas normas e da própria USC) para abrir expediente disciplinário a duas alunas do Máster de Género, Igualdade e Educaçom que interrumperam um aula do machista Luciano Méndez. Umha temática da que fum dando conta segundo avançavam os acontecimentos (ver acá) e que agora da umha volta de porca mais em quanto a USC ditaminou umha sançom mínima de só 2 meses sem emprego e soldo ao Luciano que ao ser-lhe comunicada a finais de julho sinificará que em breves manterá as suas horas de aulas no curso que está a piques de começar.

LUCIANO MÉNDEZ FÓRA DA USC!
POR UMHAS AULAS LIVRES DE SEXISMO, POR UMHA SOCIEDADE SEM DISCRIMINAÇONS!
CONCENTRAÇOM QUINTA, JOVES, 8 SETEMBRO ÁS 12H NA PRAÇA DO OBRADOIRO!

Hoje mesmo e em qualidade de trabalhador da “casa” tirei de telefone para perguntar na OIX (Oficina de Igualdade de Género) ao respeito do Protocolo de prevençom e atuaçom fronte ao acoso por razom de sexo, orientaçom sexual e identidade de género aprovado em 29 de julho polo Conselho de Governo da USC (justo o dia depois em que a USC fazia público nos falsimedios a resoluçom do expediente contra Luciano Méndez), mas de momento “nasti de plasti” sobre sua disposiçom pública para seu conhecemento; ao parecer segundo a pessoa da OIX que me atendeu (moi respetuosamente) ainda nom se publicara e que nom sabiam dizer quando estaria porque se estava pendente de atualizar com as propostas de modificaçom aprovadas e que sua publicaçom estava em mãos da Secretaria Geral da USC. Ou seja no mês de agosto nom figeram absolutamente nada para te-lo disponível antes do começo dum novo curso (a inauguraçom oficial é o vindouro dia 9). Haverá quem pense que agosto é o mês em que a administraçom está case parada e é normal que sucedam estas coisas mas, sem deixar de ser certo tal pensamento, é curioso que as Resoluçons retorais de apertura de expediente as duas alunas do Máster de Género, Igualdade e Educaçom tenha data de saida do 17 de agosto (???).
Continuar lendo