Arquivo da categoria: criaçom musical

A todas as Horteras que pese á vaga de calor do sábado estivestedes dándo-lo tudo no pátio do CSO do Sar: Obrigadas!!

Recolho e dou pulo a esta informaçom publicada hoje na web de “A Kalimera”:

Nom fumos muitas as assistentes mas sim as suficintes como para que, um ano mais, a nossa Festa Hortera fosse um grande hit da nossa história presente.

Começamos com um moi interesante roteiro para guiris pola cidade amuralhada dirigido com grande maestria polo ceremonioso Demetrio Pélaez (assim foi como se apresentou nosso cicerone); experiência que haverá que repetir mais vezes dada a repercussom causada do nosso vagar entre viandantes picheleiros. Cabe sinalar que ao início do mesmo coincidimos co passo da festiva manifa do Orgulho coa faixa da cabeceira assinada por “Transmaribolleras Compostela” e ás que queremos agradecer de maneira explícita o feito de ter retrasado o começo da sua particular Festa (no pub Curruncho) para nom colidir coa nossa e poder estar em ambas (além de ter o magnífico detalhe de dar pulo á nossa festa no seu muro de feisbuk); detalhes assim fam unir e estreitar amigáveis laços entre coletivos; esperamos e desejamos que se espalhe o ejemplo.
Continuar lendo

Sábado 17 FESTA HORTERA no CSA do Sar – Cartaz e Programa

Tras o despejo do CSOA Escárnio, lugar onde tinhamos prevista realizar nossa Festa Hortera deste ano, nom iamos arredar-nos e como nom estamos quedas, falamos coa gente do CS do Sar (“Nós tamém somo do CS do Sar”, dado que lá temos nosso estúdio) e dito e feito nossa XXII FESTA HORTERA mantém a data anunciada, Sábado 17 de junho e o tema da problemática do turismo invasivo que padecemos as residentes nesta cidade como leitmotiv da festa.
Continuar lendo

Sábado 27 em Compostela “Dupla Jornada de Hip-Hop: FURNIER & LA ISLA DEL TESORO APRESENTAM…”

Meu bo amigo Adri, “Furnier”, nom para de argalhar atividades diversas co galho de dar a conhecer o verdadeiro mundo do Hip-Hop, esse que nasceu nas ruas como movemento rebelde e que como tal tem que seguir por muito que alguns interesados no dinheiro pretendam fazer delo um simple negócio e desvirtuem sua história e sua essência.

Assim no Sábado 27, tal como me fijo chegar num seu correio, “Furnier” junto a “La Isla del Tesoro”, convidam a umha jornada de projeçons e música ao vivo coa seguinte programaçom e lugares de desfrute:

-Ás 20:00h no local “EL TESORO SHOP” (rua Poza de Bar nº3) Apresentaçom do videoclip “HAROLD SMITH” de FURNIER e da entrevista com LA ISLA DEL TESORO, ambas realizadas por SHIR-KHAN FILMS.

-ÁS 22:30h na Taberna “O’ POZO” (Ruela das Ánimas nº1) Atuaçons de:
FURNIER & LAROCK (showcase)
DJ LA ISLA DEL TESORO
Continuar lendo

1 de abril desde as 21:30′: SUBSOLO RAP FEST- 5ª ediçom na Sala Moon e Bar O’Pozo

Meu bo amigo Adri, “Furnier”, um dos organizadores deste Festival independente de música Rap, remitiu-me um seu correio coa programaçom da 5ª ediçom e a explicaçom do que vem sendo este festival, que desde já conta tamém co seu próprio blogue SUBSOLO RAP FEST. Co galho de ajudar a dar-lhe pulo, colo acá o correio recebido:
Boas xente, escrebemos para animárvos a difundir e acudir á quinta edición do SUBSOLO RAP FEST, o vindeiro sábado 1 de abril ás 21:30H na SALA MOON (Compostela). SUBSOLO RAP é un festival independente de música rap. Os obxectivos principais deste evento ademais da difusión dos artistas que nel participan, é xerar un espazo-tempo de referencia para a escena underground do rap na Galiza e o resto da Península Ibérica, así como aportar ao circuito cultural de Compostela un festival alonxado das radiofórmulas e a lóxica puramente mercantil que invade o ocio da nosa vila actualmente. Este proxecto naceu en marzo do 2009 e desde entón xa temos realizado catro edicións de maneira intermitente, e imos a pola quinta!!
Continuar lendo

LUGO – Sábado 18 Evento de Música Rap Solidário co Ateneu Libertário “A Engranaxe”

O meu bo amigo Adri, “Furnier” do HipHop Ateneu, mandou-me a convocatória e o cartaz deste evento solidário para com as compas luguesas envolvidas no projeto do Ateneu Libertário “A Engranaxe”, co galho de ajudar economicamente a manter este espaço que leva, desde 2013, 4 anos de militância cultural na cidade da muralha. Colo acá para ajudar a dar-lhe pulo desde esta minha humilde bitácora:

O vindeiro sábado 18 de março tocamos em Lugo no Furancho-Folk Bar (rua Falcón nº16) a partires das 23:00h.

FURNIER apresentará seu último trabalho PLUVIO (editado em vinilo e produzido por M PADRÓN) e estará junto com KALI / MAGNO / SUPERMARIO BRONX & BEELATTOR. Tras os concertos haverá umha black session a cargo de BASSBON & AMATERASU. O evento contará com VIPER como Mestre de Cerimónias.

A entrada será gratuita 
Continuar lendo

Disco debute de “Cáustica” com 3 cançoms libertárias de rap em galego contra o patriarcado

Recebo na minha bandeja de correio dum bo amigo envolvido neste projeto musical rupturista e dou pulo a este primeiro trabalho de Caústica, da que vos colo a ligaçom para sua descárrega e escuita e mais o textinho que me figerom chegar a modo de breve resenha de apresentaçom:

Para sua descárrega gratuita e audiçom clicade acá

[…] “A liberaçom da angústia , da ansiedade , a luita de proclamar aquilo que nos fai dano e transforma-lo em político”. J. Mitchell.

capa-caustica Abrindo o caixom dos recordos soaram versos. E escuitei as vozes que tantas vezes afogaram no silêncio impertérrito. Agochavam umha mensagem oculta, candente, a piques de estourar. A muniçom estava perfeitamente preparada. Só faltava este pequeno impulso que deliberadamente atoparía a súa única diana. Que racionalizará qualquer intento de fábula mal-intencionada. As perspetivas ja estam claras.
Continuar lendo

Qué fue de los cantautores – poema cançom de Luís Pastor para combater o olvido

Como contraposto necessário á minha entrada anterior deito acá este poema-cançom contraponto, autoria de Luís Pastor e que abre o que vem a ser, até agora, seu último disco (editado em 2012) e que leva por título genérico o mesmo que o poema-cançom deste cabeçalho Qué fue de los cantautores e que, segundo contam na sua web , percorre meio século da cançom de autor no estado espahnol sem deixar títere com cabeça, com o orgulho do ressistente . Fiel a umha atitude, a uns princípios, a um compromisso e a umha maneira aberta de fazer música. (lêr letra em “Continuar lendo “)

Qué fue de los cantautores é um reflejo desta fidelidade e, ao mesmo tempo, umha lembrança, umha homenagem e um agradecemento aos que se forom, como fica patente na dedicatória do álbum: “A todos os companheiros cantautores que já nom estám, pero que nos deixaram o seu ejemplo, o seu compromisso e as suas cançons: Ovidi Montllor, Carlos Cano, Chicho Sánchez Ferlosio, Hilario Camacho, Imanol, Labordeta, Quintín Cabrera, Mikel Laboa…. Para combater o olvido.

Continuar lendo